ISPs ultrapassam 8 milhões de acessos na banda larga fixa

Com a adição de 1,7 milhão de acessos de banda larga fixa durante 2019, os provedores regionais de Internet (ou ISPs) já ultrapassaram a marca dos 8 milhões de contratos do serviço em todo o País, revelaram dados da Anatel referentes a agosto. No oitavo mês do ano, o segmento alcançou 8,152 milhões de acessos oficiais após a adição de 53,8 mil novos clientes. Já o mercado como um todo perdeu 27,9 mil acessos em agosto e encerrou o mês com 32,5 milhões de usuários ativos; no ano, o saldo é positivo em 1,267 milhão.

Uma correção realizada nos dados anteriores da Anatel aponta que os provedores regionais alcançaram a barreira dos 8 milhões ainda em julho, quando 8,098 milhões de contratos estavam contabilizados (há um mês, quando os ISPs tomaram a vice-liderança do mercado de banda larga, os dados oficiais indicavam 7,627 milhões).

Já em agosto, a líder do mercado segue sendo o grupo Claro Brasil (que engloba Claro, Embratel e Net): são 9,543 milhões de contratos, dos quais 9,8 mil adicionados no oitavo mês do ano e 182,3 mil, ao longo de 2019. A empresa concentra 29,4% do market share do segmento, contra 25,1% dos ISPs.

Contudo, quando consideradas todas as operadoras "competitivas", a liderança do mercado de banda larga fixa já é das empresas de atuação regional. Isso porque, além dos 8,152 milhões de acessos dos ISPs, também seriam contabilizados contratos de outras prestadoras de pequeno porte (PPPs) como TIM, Algar, Copel, Sky e Cabo – totalizando assim cerca de 10 milhões de contratos.

A TIM, por exemplo, somou 546,8 mil acessos em agosto após adição de 12 mil novos. A base de banda larga fixa da Algar é ainda maior (603,3 mil), sendo 2,7 mil incluídos no mês passado. Sofreram retração em agosto a Copel (menos 3,2 mil acessos), Sky (queda de 6,5 mil) e a Cabo (menos 57 contratos); ainda assim, as empresas somavam 293 mil, 261 mil e 123 mil contratos, na ordem. Vale lembrar também que entidades de ISPs ainda afirmam existir mais de dez milhões de contratos não notificados pelas empresas regionais; eles ficariam de fora das estatísticas oficiais da Anatel.

No caso da Telefônica, houve uma perda de 47,3 mil contratos durante o oitavo mês do ano; dessa forma, o grupo encerrou agosto com base de 7,295 milhões. No consolidado do ano, são 284 mil os acessos perdidos pela empresa. Já na Oi a retração foi ainda maior – 336,8 mil contratos perdidos no ano e 48,9 mil em agosto. A companhia encerrou o mês passado com base de 5,657 milhões.

Tecnologias

Em agosto, a Anatel passou a contabilizar os acessos de cabo como HFC (coaxial) no balanço de acesso em vez de cable modem (inclusive de forma retroativa). Assim, a tecnologia híbrida terminou o mês viabilizando 9,321 milhões de contratos fixos. Só os acessos via cobre (xDSL) atendem um contingente de clientes maior: são 10,678 milhões, apesar de queda de 216,1 mil em agosto e de 1,554 milhão ao longo de 2019.

Grande destaque no mercado nos últimos anos, os acessos via fibra (FTTH), por sua vez, cresceram em 289,4 mil em agosto e 2,762 milhões no acumulado do ano. Dessa forma, 8,443 milhões de contratos de banda larga fixa são atendidos a partir da tecnologia. Destes, cerca de 5,3 milhões são detidos pelos ISPs e pelas demais operadoras competitivas.

Velocidades

Agosto também foi marcado por um novo salto no número de acessos com velocidades acima de 34 Mbps. O nível de serviço já está presente em 11,448 milhões de contratos, ou 35,2% da base nacional. Desde o começo do ano, 3,313 milhões de clientes passaram a contar com a velocidade, sendo 359 mil em agosto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.