Base móvel volta a cair em agosto; Claro lidera adições em 4G e pós

Foto: rawpixel.com / Pexels

Após um mês atípico de crescimento em julho, a base móvel brasileira voltou a cair em agosto, segundo dados da Anatel. O recuo foi de 0,15%, totalizando 228,247 milhões de acessos. As tendências do mercado brasileiro continuaram neste período: mais acessos 4G e pós-pagos. Mas na competição, a Claro mostrou o desempenho mais agressivo no mês, com liderança de crescimento no pós e no LTE, além de ter sido a que mais desligou 3G.

No geral, a base pré-paga continuou sua sangria no mês. Foram pouco mais de 1 milhão de desconexões no mês (redução de 0,88%), totalizando 122,345 milhões de chips. No pós-pago, foram 751,7 mil adições no mês (avanço de 0,71%), total de 106,902 milhões. Assim, o mix da base brasileira está cada vez mais perto de ser uma divisão igual: agora, são 54,6% pré-pagos, e 46,60% em pós-pago. 

Com a operação liberada pela Anatel na semana passada, a incorporação da Nextel pela Claro melhoraria o mix atual da empresa em três pontos percentuais, chegando cada vez mais perto de chegar à metade da base em pós-pago. Atualmente com 45,9% de base pós, a operadora do grupo América Móvil ficaria com 49% de pós com a fusão após a adição dos 3,444 milhões de acessos dessa modalidade vindos da Nextel. Sozinha, a Claro foi a empresa que mais adicionou pós no mês: 338 mil conexões.

A Vivo ainda é a única tele a contar com mais acessos pós (57,2%) do que pré-pagos (42,8%). A empresa foi a que mais registrou desconexões no pré no mês: foram 399,6 mil desconexões. A TIM, por sua vez, foi a que menos cresceu em pós (14,1 mil adições), em seguida a um mês de queda nesse segmento. Já a Oi se mantém como a maior proporção de pré-pagos, conforme se pode observar no gráfico abaixo.

Tecnologias

Exceto os acessos máquina-à-máquina (M2M), cujas duas categorias (Padrão e Especial) juntas somaram 22,904 milhões de acessos (avanço de 304,4 mil acessos, ou 1,35% de crescimento), a única tecnologia a mostrar crescimento foi o 4G. Foram 1,460 milhão de adições em agosto (aumento de 1,02%), totalizando 145,238 milhões de conexões. Com isso, a tecnologia representa atualmente quase dois terços (64%) de toda a base móvel brasileira.

A Claro também foi destaque neste segmento. Foram 725,4 mil adições somente no mês, um aumento de 2,12%, totalizando 34,970 milhões de linhas. Considerando a Nextel, a companhia totalizaria 38,324 milhões de acessos, aumentando sua participação de mercado de 24,08% para 26,39%, superando a TIM. A operadora do grupo Telecom Italia, por sua vez, foi a segunda a mais adicionar em crescimento líquido, com 258,7 mil adições (0,71%), total de 36,917 milhões de chips, ou 25,42% do mercado. 

A Vivo mantém a liderança isolada no 4G, com 45,611 milhões de conexões após aumento de 0,50%. A Oi cresceu 1,03% em agosto, totalizando 36,917 milhões de linhas. A base da Algar, mais uma vez, ficou sem atualização em agosto, mas a de julho foi corrigida para 315,2 mil acessos. O grupo de provedores regionais também passou por correção e com o LTE cresceu 14,77% e somou 28,7 mil linhas em agosto. 

Considerando apenas o 3G, a Claro novamente destacou o desempenho, desta vez de desligamentos: 742,8 mil desconexões no mês (queda de 5,56%). A operadora ainda é a líder na tecnologia, com 33,24% deste mercado (12,618 milhões de acessos). Na soma de todas as empresas, a tecnologia caiu 4,52% (1,796 milhão de desconexões), total de 37,959 milhões de linhas. O 2G manteve o desempenho usual de queda, com 301,1 mil acessos a menos do que em julho, totalizando assim 19,935 milhões de chips. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.