Projeto de backbone com RNP para Nordeste deverá sair nas próximas semanas, diz MCTIC

O projeto do governo federal em parceria com a Rede Nacional de Pesquisa (RNP) para aproveitar a infraestrutura de backbone para o Nordeste (e futuramente para o Norte) não chegou a ser anunciado na visita do presidente Jair Bolsonaro a Recife em maio, mas deverá sair ainda em junho. Segundo o diretor de banda larga do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Artur Coimbra, a parceria para a rede nordestina (que será também com participação da Chesf junto à RNP). Ele diz que a União deverá lançar a iniciativa "em uma ou duas semanas", com um aporte de cerca de R$ 81 milhões já garantidos e cobrindo 41 cidades.

"Os recursos já foram liberados, agora falta a questão burocrática para os chegarem ao Ministério e serem reportados à RNP", declarou ele em conversa com jornalistas após painel na Abrint 2019 nesta quarta-feira, 5, em São Paulo. "Só falta o dinheiro entrar. Não precisa ser por decreto – uma vez que seja liberado e o ministério tendo o limite, a gente deposita na RNP e ela começa com o projeto." Esse dinheiro deverá vir do orçamento geral da União, ele explica. "Vai ser orçamento a mais transferido para o MCTIC ou algum limite liberado, e aí vai ser portado à RNP, que vai dar início ao projeto." Os detalhes finais ainda deverão ser revelados pelo ministro, Marcos Pontes.

O acordo deverá ter uma duração de 18 meses, começando com oito cidades e chegando ate as 41 consideradas "polos" na região. A ideia, segundo explica Coimbra, é que a partir dessas localidades e tirando proveito das parcerias com provedores regionais, a infraestrutura possa ser expandida para todo o Nordeste. "Indo para Maranhão e Piauí, onde e a rede não vai estar concentrada, será por meio de parcerias para chegar lá", diz ele. A capacidade do backbone poderá ser de 100 Gbps a 400 Gbps, a depender da configuração que a Rede Nacional de Pesquisa quiser usar, repassando então para os provedores a capacidade de 1 Gbps a 10 Gbps.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.