Em abril, 4G tem primeira queda de base da história

Foto: Pixnio

A base brasileira de celular voltou a cair em abril. Ao final do mês, segundo dados da Anatel, as operadoras tinham um total de 225,583 milhões de acessos, uma redução de 0,31% (quase 697 mil desligamentos) em comparação com o mês imediatamente anterior. No ano, a redução é de 1,33%. Desta vez, contudo, todas as tecnologias apresentaram queda, algo sem precedentes na história do serviço móvel, quando em geral as gerações mais novas apresentam crescimento constante. Não foi o que aconteceu com o 4G. 

Pela primeira vez, o 4G apresentou redução da base, com 344,4 mil desligamentos, um encolhimento de 0,22%. A tecnologia vinha apresentando crescimentos constantes desde o início da série histórica divulgada pela Anatel mensalmente, em março de 2013. 

No total, o LTE registrou 157,232 milhões de chips em abril. No comparativo anual, a tecnologia de quarta geração continua a apresentar crescimento: 14,09%. 

Fonte: Anatel

Novamente, o contexto mostra que pode ter havido um forte impacto da pandemia do coronavírus (covid-19). A restrição à mobilidade dos usuários devido às medidas de isolamento social explicariam a redução – apesar de ter apresentado queda, a Internet banda larga fixa manteve o ritmo dos meses anteriores.

Em março, quando a crise ainda estava começando – segundo balanço de operadoras, o início se deu apenas na segunda quinzena -, a tecnologia LTE ainda havia mostrado aumento de 1,104 milhões de acessos (1,91%). Conforme o gráfico abaixo, o 4G é responsável por 63% do total do mercado de celulares no Brasil. 

Grupos 4G

Considerando o recorte por grupos no 4G, apenas a Vivo apresentou crescimento dentre as maiores operadoras. A companhia avançou 0,54% no mês, totalizando 50,481 milhões de acessos. Conforme analisado por TELETIME, a maior parte foi de linhas pré-pagas. 

Dentre as quatro maiores, a Claro apresentou a maior redução líquida, com 290,3 mil desligamentos no mês (queda de 0,78%), total de 37,143 milhões de linhas. A maior queda proporcional foi a da Oi, com 1,05% (265,9 mil desconexões), total de 25,144 milhões de chips. A TIM mostrou menor impacto, com redução de 0,12%, total de 38,994 milhões de linhas a menos.

A Algar Telecom apresentou crescimento de 1,93%, totalizando 1,431 milhão de acessos em abril. Por sua vez, o grupo de pequenas operadoras avançou 1,33%, adicionando pouco mais de 9 mil linhas e encerrando o mês com 696,9 mil chips 4G. 

Outras tecnologias

Por outro lado, a tecnologia 3G, que vinha experimentando fortes quedas desde o aumento da migração para o LTE, sofreu um impacto mais reduzido em abril. Foram 314,3 mil desconexões (recuo de 0,79%), totalizando 39,347 milhões de acessos. Todas as operadoras apresentaram redução na base, menos a Claro, que adicionou 279,2 mil linhas. Com 16,535 milhões de chips de terceira geração, a tele é a líder de mercado com mais de 42% do total. 

Já os acessos máquina-à-máquina (M2M) caíram pela primeira vez desde novembro do ano passado. O recuo foi de 0,54%, ou 139,4 mil desconexões. No total, a tecnologia conta com 25,663 milhões de contratos. 

As conexões 2G apresentaram redução de 0,13% no mês, totalizando 29,004 milhões de linhas. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.