Anatel voltará à Justiça para liberar leilão de WiMax

A Anatel tem pressa em liberar os leilões de WiMax e das sobras de freqüência do serviço móvel pessoal (SMP). O conselheiro da Anatel Pedro Jaime Ziller, que esteve em São Paulo nesta quarta-feira, 23, para participar do seminário VIII Foro de Regulación, promovido pela Telefónica, destacou que a agência já esgotou seus recursos e todas as instâncias falharam para liberar o leilão das faixas de 3,5 GHz e 10,5 GHz. ?A única alternativa é voltar à esfera judicial e fazer pressão para que a questão seja julgada de forma realista?, afirmou. O leilão está suspenso devido a um recurso da Abrafix (entidade que reúne as teles fixas), que pede que as concessionárias possam prestar serviço de WiMax em suas áreas de concessão. ?Vamos solicitar que se acelere o julgamento. Acreditamos que esse é o caminho correto?, diz Ziller. O conselheiro destacou que, caso a Justiça julgue favoravelmente à continuação do leilão ? que tem 101 empresas interessadas ? não será necessário refazer tudo do zero, ou seja, convocar uma nova consulta pública e refazer o edital. ?Volta-se à proposta original, com as concessionárias atuando onde a legislação permite hoje?, disse Ziller. "Depois, elas (as teles) pedem estabilidade regulatória. Como é possível se qualquer questão vai para a Justiça?", pergunta.

Leilão de 3G está próximo

Sobre o leilão de 3G, Ziller acredita que é possível que o edital seja lançado ainda neste ano. ?Já existe um grupo de trabalho que está detalhando a consulta pública?, afirmou. Um dos requisitos do serviço, segundo ele, é que a rede tenha cobertura geográfica abrangente. O conselheiro também expressou esperança de que o leilão das sobras de freqüência saia ainda este ano. ?Nesse caso não tem nada que segure?, completou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.