Claro leva roteadores de core ao backhaul

A explosão de tráfego gerado pela banda larga móvel levou a Claro a desenvolver um projeto que prevê instalar até o fim deste ano de 3,5 mil a 4 mil roteadores IP/MPLS da Alcatel Lucent e da Nokia Siemens em 60% das 400 cidades onde oferece serviços 3G. Esses equipamentos são normalmente utilizados no core da rede das operadoras. Também serão instalados enlaces digitais, de 45 Mbps, em cerca de 2 mil sites da Huawei, Nokia Siemens, Alcatel Lucent, Nera, NEC e Ericsson.
O projeto foi dividido em duas fases. A primeira é o atendimento dos pontos agregadores, ou seja, aquelas NodeBs que concentram tráfego de outras.
A segunda fase é o atendimento às demais NodeBs, completando até setembro 60% dos sites 3G.
Marcio Nunes, diretor de core network da Claro, explica que esses roteadores se comunicam entre si através de fibra óptica da rede da Embratel. Sem querer revelar os valores do projeto, Nunes diz apenas que é "mais de uma centena de milhões de dólares".
Nunes falou sobre o planejamento de longo prazo da Claro, e expôs que a operadora trabalha para ter um backhaul totalmente IP/MPLS em cima de redes MetroEthernet e, no futuro, planeja um core IMS.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.