Apesar de ausência da Oi, ministro considera o leilão um sucesso

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou que apesar da ausência da Oi, o leilão de venda da faixa de 700 MHz foi bem sucedido, principalmente levando em conta o atual cenário de turbulência nos mercados financeiros. "Acho que o leilão, em um momento como esse, foi um sucesso", disse o ministro. Segundo ele, o governo poderá fazer um novo leilão envolvendo frequências de 700 MHz que não receberam ofertas, mas não deu detalhes sobre quando esse leilão poderia ocorrer.

Notícias relacionadas

O leilão de frequências da faixa de 700 MHz para uso pela telefonia móvel de quarta geração (4G) arrecadou R$ 5,8 bilhões, montante abaixo do previsto pelo governo federal, diante de ausência de Oi e Nextel e com a ausência de disputa pelos lotes. Chegarão aos cofres do governo, contudo, cerca de R$ 4,9 bilhões já que o custo de limpeza da faixa referente aos lotes não vendidos será descontado da arrecadação do governo.

Questionado sobre a frustração na arrecadação, já que o Tesouro Nacional contava com os quase R$ 8 bilhões, Bernardo disse que não conversou com a área econômica do Governo Federal. Porém, ele afirmou que o governo já esperava uma redução no montante desde a semana passada, quando a Oi desistiu de participar da disputa.

"Do ponto de vista do Tesouro, é uma coisa negativa ter diminuído a arrecadação; e do ponto de vista do Ministério das Comunicações, é negativo não ter atingido plenamente (a venda das faixas). Eu gostaria que a Oi tivesse comprado para também ajudar a desenvolver o 4G no País", disse Bernardo.

O governo pode arrecadar ainda cerca de R$ 420 milhões adicionais, se as três operadoras nacionais que venceram o leilão optarem por usar a faixa de 700 MHz para cumprir obrigações de outro leilão, o da faixa de 2,5 GHz, realizado em 2012. Bernardo disse "ter certeza" de que as empresas farão essa opção.

Com informações da Agência Reuters.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.