Claro avança em fibra óptica, mas descarta nova empresa para expansão

Durante o evento TELETIME Tec realizado esta semana, a Claro reportou progresso na expansão de sua cobertura de fibra óptica, mas descartou seguir a estratégia de concorrentes de constituir uma empresa apartada para suportar o crescimento na área.

"Somos os que falamos menos nesse aspecto, mas estamos trabalhando, e com a expansão de rede em andamento. Já divulgamos 2 milhões de homes-passed (HPs), que é a previsão para este ano", afirmou o CEO da área de consumo da operadora, Paulo César Teixeira, durante o primeiro dia do evento – que continua nesta terça-feira, 25.

"Esse é o caminho: modernizar por um lado e avançar com fibra por outro", completou o executivo, citando atualização da rede de cabo com DOCSIS 3.1 que permitiu o lançamento de planos de 500 Mbps na banda larga fixa.

Notícias relacionadas

Provocado, Teixeira também deixou claro que criação de uma empresa apartada para infraestrutura não está nos planos. "Será uma empresa só. Trabalhamos dentro de casa". Neste sentido, o executivo garante que a operadora deve colher todas as sinergias possíveis, incluindo ao lado da Embratel, que atende clientes B2B a partir de rede óptica.

Já o CTO da empresa, André Sarcinelli, afirmou que a empresa analisa permanentemente as opções de expansão das redes de fibra, inclusive no modelo de parcerias com outras empresas. Para ele, a opção de construção própria de rede parece fazer mais sentido, ao passo que seria uma questão de tempo até que o modelo em que a contratação de redes neutras passará a fazer sentido economicamente.

Sarcinelli aponta que em cidades com mais de 250 mil habitantes, a Claro já tem quase 100% de suas ERBs conectadas por fibra, mas que esse número naturalmente cai em cidades menores e é ai que a empresa deve buscar a ampliação das redes para o 5G e para a oferta de banda larga. "Hoje, nossas novas redes são todas GPON porque faz mais sentido", diz, lembrando que mesmo nas cidades com HFC a fibra hoje já chega, em muitos casos, até a porta dos edifícios e a parte coaxial se torna apenas o acesso final.

Oferta

De forma geral, o CEO Paulo César Teixeira avalia que o mercado de fibra óptica deve vivenciar uma "super oferta" na medida que as grandes empresas intensificam investimentos na área.

"Foi feito um grande esforço por pequenos provedores, mas na hora que as grandes empresas chegarem com rede, vai fazer uma diferença enorme e gerar uma super oferta de fibra nos próximos anos", conjecturou Teixeira. "Notadamente, temos custos de fibra muito baixos", completou ele, fazendo uma oposição ao 5G.

Em março, a Claro possuía 511,9 mil acessos de banda larga fixa baseados em fibra (em um universo de 9,825 milhões que a torna líder do mercado no Brasil). O crescimento em um ano nos contratos com tecnologia óptica é de 59,5%.

1 COMENTÁRIO

  1. A Claro não necessita de uma empresa apartada pois ela vem da fusão de três empresas, sendo uma delas a Embratel que era justamente uma carrier e com a fusão agora como departamento deveria cuidar desta área.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.