Oi nega busca de assessor financeiro para novo aumento de capital

Em comunicado ao mercado enviado na manhã desta quinta-feira, 11, a Oi afirmou que não iniciou tratativas com instituições financeiras visando um novo aumento de capital para a empresa no valor de R$ 2,5 bilhões. A manifestação ocorreu um dia após notícias veiculadas na imprensa apontarem que a operadora já estaria buscando um assessor financeiro para este fim.

Assinado pelo diretor de finanças e relações com investidores da Oi, Carlos Brandão, o comunicado lembra que o plano de recuperação judicial da empresa "prevê a possibilidade da Companhia buscar, caso necessário, além dos recursos obtidos com o aumento de capital já realizado em janeiro deste ano, novos recursos destinados à consecução das atividades do grupo Oi, no montante total de até R$2,5 bilhões". Contudo, a operadora pontua que "até a presente data não ocorreram tratativas para mandatar instituição financeira para atuar na alternativa prevista".

Homologado em fevereiro de 2018, o plano de recuperação judicial da Oi estabeleceu prazo de até dois anos para a realização de um eventual segundo aumento de capital (o primeiro totalizou R$ 4 bilhões), que poderia ser realizado "mediante a emissão de pública de ações ordinárias ou de novos instrumentos de dívida, incluindo dívidas com garantia". Conforme apontado por este noticiário na última segunda-feira, recursos extra podem ser necessários para a Oi caso a operadora opte por manter a estratégia de expansão de fibra ótica sem colocar em risco a participação no leilão de espectro 5G marcado para 2020.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.