Oi conclui aumento de capital de R$ 4 bilhões

©Paula Johas_F3

[Atualizada às 16h45] A Oi conseguiu concluir com sucesso a operação de aumento de capital de R$ 4 bilhões conforme previsto no Plano de Recuperação Judicial e aprovado pelo conselho de administração em outubro do ano passado. A operadora comunicou ao mercado nesta segunda-feira, 28, que subscreveu e integralizou todas as 3,225 bilhões de novas ações ordinárias ao completar na última sexta, 25, a subscrição e integralização de 1,604 bilhão de novas ações correspondentes ao saldo do que ainda não havia sido subscrito durante o período de exercício do direito de preferência.

O conselho da companhia havia aprovado em reunião na semana passada, dia 21, a emissão de 272,148 milhões de novas ações ordinárias, equivalente ao aumento de capital no valor de R$ 337,464 milhões. Essas ações foram subscritas por investidores e administradoras de fundos de investimentos do contrato de compromisso, os chamados investidores backstoppers – ou seja, investidores que se comprometem a comprar os títulos que não forem subscritos em uma oferta de direitos. Eles elegeram receber em novas ações o crédito relativo ao prêmio de compromisso de garantia do aumento de capital. Esses investidores backstoppers chegaram a estabelecer condições, como a aprovação do novo PGMU. Como o governo Temer publicou o decreto do Plano Geral de Metas de Universalização pouco antes do encerramento do mandato, no final de dezembro, não houve necessidade de pagamento de multa, que poderia chegar até US$ 45 milhões.

Com o aumento aprovado, o capital social da Oi passou a ser de R$ 32.538.937.370,00, dividido em 5.954.205.001 ações, das quais 5.796.477.760 são ordinárias e 157.727.241 são ações preferenciais, todas nominativas e sem valor nominal.

Vale lembrar que a acionista Pharol, antiga Portugal Telecom, tentou barrar o aumento de capital da Oi. Entretanto, no dia 9 de janeiro, a companhia brasileira conseguiu um acordo com a portuguesa para encerrar os litígios. Para tanto, a Oi se comprometeu a pagar um total de 25 milhões de euros à Pharol, além de entregar 33,8 milhões de ações, entre outras condições. Como contrapartida, a portuguesa deveria utilizar o mesmo valor de 25 milhões de euros na própria subscrição do aumento de capital da Oi.

Em comunicado ao mercado português, a Pharol confirmou como ficou a participação acionária na Oi. A empresa subscreveu 127.548.955 novas ações, dos quais 85,721 milhões foram provenientes do acordo de fim de litígios com a Oi; e mais 41,827 milhões de ações por meio de recursos próprios. Somadas às 166,711 milhões de ações que a portuguesa já detinha, a Pharol passou a contar com 328,060 milhões de ações, o que corresponde a 5,51% do capital social da companhia brasileira. Esse montante ainda não considera as 33,8 milhões de ações existentes na tesouraria da Oi que ainda serão entregues.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.