Publicidade
Início Newsletter Anatel pretende adicionar mais ondas milimétricas ao 5G, agora em 27 GHz

Anatel pretende adicionar mais ondas milimétricas ao 5G, agora em 27 GHz

A Anatel colocou em consulta pública nº 11 nesta sexta-feira, 8, a proposta de uso da faixa de 27,5 a 27,9 GHz para os serviços limitado privado (SLP), de comunicação multimídia (SCM), móvel pessoal (SMP) e telefônico fixo comutado (STFC). Na prática, os requisitos técnicos e operacionais colocados para a tomada de subsídios aborda a possibilidade de utilizar esses 400 MHz em ondas milimétricas para o 5G, tanto no padrão do Release 16 quanto no 17. 

De acordo com a Anatel, há possibilidade de boa convivência com a banda Ka de satélite, que opera na faixa de 27,9 a 28,4 GHz em diante. Segundo o estudo da área técnica, a conclusão é que houve uma interferência agregada mínima e que se mostrou “razoável” para antenas em determinados ângulos operacionais. 

“Com base nas avaliações realizadas, observou-se, portanto, que para potências e.i.r.p. das estações base limitadas a 60 dBm/200 MHz, as probabilidades estimadas de extrapolação do critério de proteção das estações do FSS [serviço fixo de satélite] são consideradas desprezíveis“, diz o documento da gerência de espectro, órbita e radiodifusão. As antenas externas deverão, contudo, estar na linha do horizonte ou abaixo dela. E as estações outdoor não podem ter largura de banda acima de 200 MHz, enquanto no indoor não há essa limitação. Também não poderá ser solicitado proteção contra interferência do FSS. 

Notícias relacionadas

O texto da Superintendência de Outorga e Recursos à Prestação (SOR, comandada por Vinícius Caram) considera que a evolução tecnológica “pode facilitar o emprego de sistema de antena ativa (AAS – Active Antenna System), incluindo técnicas de MIMO (Multiple Input Multiple Output) e conformação de feixes (beamforming), para apoiar aplicações de banda larga com o uso do espectro de forma mais eficiente”. Além disso, diz que características das ondas milimétricas permitem essas antenas mais avançadas e essas técnicas.

Essa faixa da consulta pública é adjacente à de 26 GHz, que foi um dos objetos do leilão do 5G em 2021, com três blocos nacionais adquiridos pela Claro (400 MHz), Vivo (600 MHz) e TIM (200 MHz); e quatro blocos regionais adquiridos pela Neko (200 MHz), TIM (200 + 200 MHz), Algar (1 GHz) e Fly Link (200 MHz). Vários lotes ficaram desertos, entretanto.

A consulta pública já pode receber contribuições no sistema atual da Anatel (ainda sem a plataforma nova Participe). O prazo é de 45 dias.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário Cancelar resposta

Sair da versão mobile