Leilão do 5G é encerrado com valor total de R$ 47,2 bilhões

A Anatel finalizou nesta sexta-feira, 5, a abertura das propostas de preço para os lotes da faixa de 26 GHz. Foi a maior quantidade de espectro em disputa, e os valores ofertados serão convertidos em investimentos em programas de educação conectada. No total, considerando também as faixas leiloadas na quinta-feira, 4, foram R$ 47,2 bilhões de valor econômico.

Conforme explicou o presidente da Comissão Especial de Licitação, o superintendente de competição Abraão Balbino, o ágio total foi de R$ 5 bilhões, ou 218% sobre o preço mínimo. Confira os valores por faixa na tabela abaixo:

Notícias relacionadas

Confira aqui o documento elaborado pela Comissão de Licitação com um balanço dos resultados do leilão.

O que aconteceu hoje

Abaixo, confira as atualizações em tempo real durante a segunda e final etapa do leilão durante a manhã desta sexta-feira:

11:18 – Com muitos lotes vazios e pouco apetite das grandes operadoras, valores arrecadados na faixa de 26 GHz ficam bem abaixo do esperado. Ao todo, lances resultam em R$ 352,858 milhões.

11:17 – Termina a abertura das propostas de preço. Comissão suspenderá a sessão para coletiva de imprensa.

11:16 – Lotes J34 a 36 declarados desertos pela Anatel. Lotes J37 a J42 não serão abertos pelos lotes H já terem sido vendidos.

11:13 – Para Lote J33, TIM oferece  sozinha R$ 6 milhões e com isso leva mais 200 MHz no Estado de SP por 10 anos.

11:10 – TIM não apresenta proposta e Neko/Surf leva 200 MHz de espectro em 26 GHz no Estado de São Paulo no lote J32. Lance de R$ 8.492.917,16 e ágio de 49,99%.

11:07 – Para o lote J32, a empresa Neko oferece R$ 8.492.917,16, TIM oferece R$ 6 milhões e a Vivo não apresenta propostas. Haverá disputa pelo Estado de SP.

11:05 – Anatel abre agora propostas do lote J32 (Estado de SP). Têm propostas válidas a Neko (Surf), Vivo e TIM. O lote é de 10 anos.

11:02 – Para o lote J27 a J30 são declarados desertos e o J31 não será aberto pela venda do H31.

10:59 – Apenas a TIM apresenta proposta ao J26, de R$ 6 milhões, e ágio de 18,42%. Com isso, a operadora leva mais 200 MHz no Sudeste (menos SP), mas numa licença de 10 anos.

10:57 – Anatel abre os invólucros do Lote J26 à Região Sudeste (menos SP). Vivo e TIM tem garantias apresentadas.

10:56 – Anatel declara vazios lotes J21 a J24. Lote J25 não será aberto por conta da venda do Lote H25.

10:53 – Apenas a TIM apresenta proposta para o Lote J20: R$ 4 milhões, ágio de 6,12%. Com isso, TIM leva mais 200 MHz no Sul do País.

10:50 – No Lote J20 (Região Sul, por 10 anos) Vivo e TIM apresentam garantias.

10:49 – Anatel declara desertos os Lotes J1 a J18 e não poderá abrir o lote J19, por já ter sido vendido o lote H19.

10:46 – Antes da abertura dos Lotes tipo J, Anatel está separando as os envelopes da Vivo para verificação de ausência de propostas.

10:41 – Vivo informa que também não tem propostas para Lotes do tipo J, apesar de ter apresentado garantias.

10:37 – Lotes I7 a I 10 são declarados desertos.

10:36 – Mais uma vez, Vivo apresenta garantias mas não apresenta propostas para os lotes I6 a I10. Anatel vai fazer a conferência.

10:35 – TIM apresenta proposta de R$ 27 milhões (ágio de 2,22%) e Vivo não apresenta propostas. Com isso TIM e a vencedora do lote nacional de 10 anos I6. São 200 MHz, metade do que tem a Claro (400 MHz) e um terço da Vivo (600 MHz)

10:33 – TIM e Vivo na disputa pelo Lote I6

10:32 – Lotes de tipo I1 a I5 não serão abertos por conta da venda dos lotes tipo G. Anatel vai abrir agora o lote I6, com 200 MHz nacional, mas com validade de 10 anos

10:30 – A FlyLink, provedor que atua no Triângulo Mineiro, leva o Lote H42 com proposta de R$ 900.000,00 (ágio de 10,27%. É a primeira nova operadora a entrar na faixa de 26 GHz.

10:28 – No lote H42, apenas garantias da FlyLink e Vivo. 

10:26 – Fly Link desiste e Algar é a vencedora com R$ 1.399.157,00 e ágio de 71,42% no Lote H41. Com isso, Algar já tem 1 GHz de espectro em sua própria área.

10:23 – Algar apresenta proposta de R$ 1.399.157,00, Fly Link de R$ 900.000,00 e Vivo não apresenta propostas. Teremos primeira disputa  de preço em um lote de 26 GHz 

10:22 – No Lote H41 (ainda na área da Algar), propostas aptas da Vivo, Algar e Fly Link.

10:20 – Mais um lance de R$ 1.037.000,00 da Algar, ágio de 27,8%, e empresa leva mais uma, faturando o lote H40. 800 MHz até aqui em sua própria área.

10:19 – Para o Lote H40 (ainda na área da Algar) as proponentes aptas, mais uma vez, são Algar e Vivo.

10:18 – Algar, com lance de R$ 1.037.000,00 para o Lote H39, fatura mais 200 MHz em sua área. 600 MHz até aqui para o grupo mineiro, mas em sua própria área de operação.

10:15 – Para o Lote H39 (também área da Algar), Vivo e Algar apresentaram garantias.

10:15 Algar apresenta proposta única de R$ 935 mil para o Lote H38 com ágio de 14,55% e com isso é a vencedora em sua própria área de operação também nesse lote e garante 400 MHz.

10:11 – O lote H38 também é para a área da Algar e, a exemplo do H37, apenas Algar e Vivo apresentam propostas.

10:08 – Algar apresenta proposta única de R$ 935 mil para o Lote H37 com ágio de 14,55% e com isso é a vencedora em sua própria área de operação.

10:06 – Para o Lote H37 (Setores 3, 22, 25 e 33 do PGO) foram apresentadas garantias pela Algar e Vivo. 

10:02 – Lotes H32 a H36 declarados vazios.

10:00 – Para os Lotes H32 a H36 a mesma situação se verifica: garantias apenas da Vivo, porém sem propostas. Anatel está verificando.

09:58 – Apenas a TIM apresenta proposta para o Lote H31, de R$ 12 milhões, com ágio de 5,97%. Assim, a TIM leva 200 MHz em São Paulo.

09:56 – Para o Lote H36 (Estado de SP) estão aptas a Vivo e a TIM.

09:55 – Anatel declara desertos os lotes H26 a H30.

09:52 – Para os Lotes H26 a H30 só há garantias da Vivo, por isso a Anatel vai fazer a verificação de ausência de propostas para declarar os lotes desertos.

09:51 – TIM apresenta proposta de R$ 11 milhões e com isso leva o Lote H25. Com isso, garante mais 200 MHz na faixa de 26 GHz na Região Sudeste. 

09:50 – Começa a abertura do Lote H25, para o Sudeste (exceto SP). Apresentaram garantias as empresas Vivo e TIM.

09:48 – Anatel informa que os lotes H20 a H24 ficaram desertos dada a ausência de propostas da Vivo.

09:45 – A TIM informa que só deu uma garantia para o H19. Anatel confirma o entendimento e por isso vai abrir os envelopes da Vivo de H20 a H24, para verificar a ausência de propostas.

09:44 – Só a TIM apresenta propostas para o lote H19, no valor de R$ 8 milhões (6,12% de ágio). Com isso, a empresa leva 200 MHz na faixa de 26 GHz na Região Sul.

09:40 – Abertura das propostas ao Lote H19, referente ao Sul do País. Apresentam garantias as empresas Vivo e TIM.

09:39 – Comissão confirma ausência de propostas dos Lotes H2 a H18.

09:38 – A explicação para a entrega de garantias, mas não de propostas, é a estratégia de leilão: as empresas costumam fazer isso para despistar os concorrentes, apesar dos custos relativos à entrega de garantia.

09:37 – Anatel está fazendo a conferência dos invólucros referentes aos lotes H2 a H18.

09:32 – Considerando a declaração da Vivo, a Anatel informa que vai ser mantido o rito de abertura dos invólucros do H2 ao H18 apenas para verificação da falta de propostas.

09:31 – Vivo informa que apresentou garantias para os demais lotes H, mas não apresentou propostas.

09:30 – Vivo não apresentou proposta de preço e o Lote H1 fica deserto.

09:29 – Para o Lote H1, de 20 anos relativo ao Norte, apenas a Vivo tem garantia apresentada.

09:27 – Começa a disputa dos Lotes H, que terão 200 MHz em 26 GHz por 20 anos, para áreas regionais. O primeiro é o H1 para o Norte.

09:26 – Para os lotes G6 a G10 não houve propostas válidas, e por isso ficam desertos. A surpresa foi a TIM que optou por não levar nenhum dos lotes nacionais de 20 anos.

09:25 – Vivo leva Lote G5 pelo valor mínimo de R$ 52.824.007,59. Com isso já acumula 600 MHz de espectro na faixa de 26 GHz.

09:23 – Para o Lote G5 (igualmente 200 MHz nacionais por 20 anos) apenas a Vivo apresenta proposta apta.

09:22 – Vivo leva Lote G4 por R$ 52.824.007,59, mais uma vez o valor mínimo. Com isso, também já tem 400 MHz em 26 GHz.

09:21 – Para o Lote G4, de 200 MHz nacional, apenas a Vivo apresentou proposta apta.

09:16 – O limite de espectro por operadora na faixa de 26 GHz é de 1,2 GHz, mas a julgar pela estratégia da Claro, é improvável que as operadoras sejam tão agressivas. 

09:15 – Vivo vence o lote G3 com proposta de R$ 52.824.007,59, valor mínimo.

09:14 – Claro informa que ao vencer as duas primeiras disputas, suas garantias se esgotaram e por isso não pretende mais disputar os lotes G. Ou seja, a Claro limitou seu apetite nestes lotes a 400 MHz de espectro. Anatel confirma o entendimento e informa que a Claro não tem mais garantias válidas a partir do lote G3.

09:13 – Para o Lote G3 apresentam propostas Claro e Vivo, mais uma vez.

09:12 – Claro leva mais uma. Com lance de R$ 52.852.000,00 Claro leva o Lote G2.

09:09 – Claro apresenta proposta de R$ 52.852.000,00 e Vivo oferta R$ 52.824.007,59 pelo lote G2. Propostas no preço mínimo, mas com Claro ganhando no arredondamento para cima.

09:07 – Na disputa do lote G2, também nacional de 200 MHz por 20 anos, as proponentes são também Claro e Vivo, desenhando-se a o cenário que deve ser mais comum na disputa pelo espectro de 26 GHz.

09:07 – Sem disputa, Claro leva o primeiro lote, o G1, por R$ 52.825.000,00

09:06 – Proposta da Vivo foi de R$ 52.824.007,59 e Claro R$ 52.825.000,00

09:02 – Começa a abertura do Lote G1, de 200 MHz nacional. Claro e Vivo entregam propostas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.