SES-10 é lançado com sucesso pelo foguete reutilizável da SpaceX

Foi lançado com sucesso na noite desta quinta-feira, 30, do Centro Espacial Kennedy da Nasa, na Flórida, o satélite SES-10.O grande acontecimento foi, entretanto, o veículo: o foguete Falcon 9, da SpaceX, que foi pela primeira vez na história da indústria aeroespacial reutilizado com sucesso. A conquista da SpaceX é um feito porque a ideia é, eventualmente, com maior confiabilidade e segurança, poder reutilizar o foguete no mesmo dia para novos lançamentos, como ocorre atualmente em aviação comercial. A ideia é reduzir custos para até 30%, segundo contou nesta semana o vice-presidente de vendas para América Latina Sul da SES, Jurandir Pitsch.

A separação do primeiro estágio aconteceu com sucesso por volta de 4 minutos depois da subida, que ocorreu sem maiores problemas às 19h30. O segundo estágio terminou a queima às 19h40, levando o satélite SES-10 à fase da posicionamento. Sete minutos depois de ser alçado ao espaço, o primeiro estágio do foguete executou a reentrada na atmosfera, pousando com segurança na plataforma "Of Course I Still Love You". A transmissão de vídeo da SpaceX cortou o momento, mas logo mostrou o foguete já em solo e aparentemente íntegro.

Pouco depois do pouso, o CEO e designer principal da SpaceX, Elon Musk, entrou ao vivo para ressaltar o feito. Disse que foi um "dia fantástico para o espaço e para a indústria espacial" e uma "grande revolução nos voos espaciais". Musk afirmou estar orgulhoso e pontuou várias vezes que o feito foi um marco para a história da exploração espacial, "concluindo algo que muitos não acreditavam ser possível".

Separação com sucesso

O segundo estágio do foguete levando o SES-10 entrou em órbita geoestacionária às 19h55. A separação e a conclusão da missão Falcon 9 ocorreu cinco minutos depois.

O SES-10 cobrirá a América Latina espanhola (do México ao Chile) com um único feixe, enquanto dedicará um feixe exclusivo para a cobertura no Brasil. Com carga equivalente a 55 transponders em banda Ku, ele será posicionado em 67º Oeste e deverá ajudar a expandir serviços DTH na região. O artefato ainda não teve capacidade contratada no Brasil, mas a expectativa é conquistar clientes ainda este ano para serviços para conexão em voos para companhias aéreas, backhaul de operadoras móveis nas regiões afastadas da América Latina; e aplicações DTH.

O satélite de 5.300 kg foi construído pela Airbus Defence & Space e é baseado na plataforma Eurostar E3000, utilizando um sistema de propulsão de plasma elétrico para manobras em órbita e propulsão química para a chegada inicial à órbita e de "algumas" manobras em órbita. A expectativa de vida do SES-10 é de 15 anos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.