Pulsos e assinatura terão reajuste menor que 8,7%

A Anatel conseguiu convencer as empresas de telefonia a não aumentar tanto o pulso residencial, a assinatura básica e o pulso de telefone público quanto teriam direito. O acordo vale para o reajuste médio de 8,7% referente à diferença entre o IGP-DI e o IPCA do ano passado que será aplicado em duas parcelas, uma em setembro e outra em novembro. Ficou acertado que os itens citados terão reajuste abaixo de 8,7%. ?Escolhemos esses itens porque são os que mais afetam a população. O reajuste das tarifas para o mercado corporativo deve ficar acima de 8,7%?, explicou o presidente da Anatel, Pedro Jaime Ziller. As negociações com as operadoras prosseguem para e a definição final dos novos preços deve sair nas próximas semanas.

VU-M

O edital do regulamento para arbitragem das novas VU-Ms deve ser publicado em agosto, espera o presidente da Anatel. A agência havia definido que as operadoras fixas e móveis deveriam negociar livremente os valores de suas VU-Ms, mas isso não está acontecendo por resistência das teles móveis, que temem uma drástica redução dessas tarifas de interconexão. ?Por enquanto ficam valendo os valores acertados em fevereiro?, afirmou Ziller.

Notícias relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.