Huawei muda foco de feature phones para smartphones

A Huawei anunciou neste domingo, 24, dia que antecede a abertura oficial da maior feira mundial de mobilidade, a Mobile World Congress, uma importante mudança de estratégia para sua divisão de handsets, a Huawei Device, que agora passa a ser orientada ao consumidor final. E mais do que a mudança de business-to-business para uma abordagem business-to-consumer, a Huwaei decidiu concentrar todos os seus esforços no desenvolvimento e produção de smartphones. A aposta é alta e traz seus riscos, mas é vista com uma oportunidade de sustentar um forte crescimento da marca da fabricante chinesa que, nas palavras da diretora global de marca da Huawei Device, Amy Lou,

se vê como uma empresa "visionária" e de "otimismo progressivo". "Estamos mudando o foco de feature phones de gama baixa para smartphones middle end e high end. Desenvolvemos uma plataforma que nos permite inovar em smartphones e superar os obstáculos e queremos ser uma marca líder global em mobilidade nos próximos anos, é a nossa ambição", disse Amy. Para marcar a mudança, a Huawei lançou uma campanha mundial com o slogan "Make it possible".

Mercados emergentes

Na esteira do anúncio da mudança de foco para smartphones, o CEO da Huawei Consumer Business Group, Richard Yu, revelou que a fabricante cancelou um investimento de US$ 30 milhões na fabricação de feature phones. "Esse é o momento de focar os esforços para ser uma marca líder global em smartphones nos anos que se aproximam", pontuou Yu.

Mas isso não significa que os feature phones vão desaparecer do portfólio da Huawei. Questionado por este noticiário sobre como ficaria a estratégia da fabricante para mercados emergentes, Yu reconheceu que os feature phones ainda têm muita demanda nesses mercados e que a Huawei continuará atuando com alguns modelos para atende-los. "Mesmo mudando foco para smartphones, ainda teremos alguns modelos, mas a estratégia é conseguir impulsionar a adoção de smartphones nesses mercados, desenvolvendo smartphones mais inteligentes, com inovação e a preços mais acessíveis. Esse é nosso papel, fazer com que essa inovação chegue a todo o mundo".

Números

Alguns números divulgados neste domingo justificam a decisão da Huawei: as vendas globais da companhia alcançaram receita de US$ 7,5 bilhões em 2012, 10% a mais em no ano anterior, e os envios de dispositivos para o varejo somou 127 milhões de unidades, das quais 50 milhões eram modems banda larga, 25 milhões de dispositivos residenciais e 52 milhões de handsets. E dos 52 milhões de handsets, nada menos que 32 milhões eram smartphones, crescimento de 60% na comparação anual. No quarto trimestre do ano passado, com embarques de 10,8 milhões de unidades, a Huawei alcançou o terceiro lugar no hanking de fabricantes de smatphones, segundo dados da IDC.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.