Desligamento da TV analógica vai variar de 2015 a 2018, diz Minicom

Ao contrário do que demostrou um estudo da SET (Sociedade de Engenharia de Televisão) sobre a digitalização da radiodifusão em regiões de grande ocupação do espectro, o Ministério das Comunicações está confiante de que há espaço para todos os canais digitais e para a banda larga. "O estudo da SET é muito bom, mas acreditamos que em relação a algumas premissas vamos precisar dar uma apertadinha", afirmou o secretário de Comunicação Eletrônica do Minicom, Genildo Lins, durante sua apresentação no Seminário Política de (Tele)Comunicações realizado em Brasília nesta quarta, 20.

O secretário garantiu que o ministério tem plena convicção de que haverá espaço para todas as emissoras, mesmo nas regiões onde o espetro está mais congestionado. "A coisa mais importante que o governo tem a dizer nesse momento é: vamos garantir espaço para todo o mundo, cobertura para todos os operadores e garantir que não haverá interferência", declarou.

As palavras do secretário, contudo, não foram capazes de tranquilizar os radiodifusores. O presidente da Abert, Daniel Slaviero, não escondeu o seu descontentamento com a forma com que o governo vem tratando a questão.

"Não tivemos nenhum acesso a estudos que comprovam isso. Por outro lado entregamos um estudo dizendo que em 4,5 mil (cidades) a tendência é que não haja problema, mas nos grandes centros onde há concentração econômica existe, sim, problema. E de lá para cá nós não tivemos acesso a nenhum estudo contraditório da agência ou do ministério, e isso tem trazido uma certa intranquilidade", disse Slaviero.

Segundo os dados do ministério, há 885 municípios em que é necessário desligar a transmissão analógica para liberar a faixa para a banda larga. Nesses municípios o cronograma de desligamento (originalmente previsto para 2016) será antecipado para a partir de março de 2015. Nos demais municípios em que a faixa não é ocupada (4,8 mil, segundo o Minicom) ou os canais poderiam ser migrados para a faixa de UHF sem desligamento do sinal analógico, o cronograma do switch-off será amplicado de 2016, como rpevisto hoje, para até 2018, diz Genildo Lins. "Isso acontecerá de forma escalonada".

Está agendada para a próxima quinta, 21, uma reunião do Minicom e da Anatel com a radiodifusão com o objetivo de mostrar para o setor os estudos do governo. Segundo Genildo Lins, será demostrado que mesmo nas regiões mais congestionadas a desocupação é possível. "O governo está seguro disso. Nós temos convicção do que estamos fazendo", garantiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.