Com Gebara no comando, Vivo continuará focando em fibra e 4G

A troca de comando na Vivo manterá a política de investimentos em infraestrutura, com foco especialmente na fibra e na tecnologia 4G e sua evolução 4,5G (chamada comercialmente pela empresa de 4G+). Em conversa com jornalistas nesta segunda-feira, 17, o novo presidente da operadora, Christian Gebara, confirmou que manterá a estratégia para os próximos anos. Para isso, a companhia contará com investimentos de R$ 26 bilhões no triênio 2018-2020, quantia R$ 2 bilhões acima do inicialmente previsto justamente para a expansão da cobertura ótica.

Apesar de a operadora considerar o crescimento orgânico, nada a impede de procurar avançar na infraestrutura de rede por meio da aquisição de provedores regionais. Para tanto, a empresa visada precisaria se encaixar no modelo tecnológico ou de gestão da Telefônica, diz Gebara.  "Nossa gestão poderia sim, fazer aquisição. Ou mesmo em parceria com algum desses fundos, para, com o mesmo dinheiro, conseguir fazer mais sociedades e dividir parte do investimento e do retorno com eles", explica, citando fundos que têm demonstrado interesse em ISPs. Essas aquisições ou parcerias ficariam no escopo do Capex planejado, bem como os investimentos após uma eventual aprovação do PLC 79.

De forma orgânica, a Vivo estima encerrar este ano com mil cidades com a tecnologia LTE-Advanced, além de mais de 3 mil com LTE. Em fibra até a residência (FTTH), a expectativa é de fechar 2019 com 9 milhões de homes-passed, sem contar os 11 milhões de residências passadas com a arquitetura FTTc herdada da GVT. "Fizemos 2 milhões em FTTH somente este ano, e queremos ter 15 milhões em 2020", declara Gebara. O executivo diz que algumas das novas instalações de fibra são feitas em lugares onde já havia FTTc, mas essa não é a prioridade. "Estamos acabando o overlay na ultima milha, mas todas as novas instalações são FTTH, e ela estará em novas cidades: Palmas, Manaus, Belém e Rio de Janeiro também", declara, destacando também a melhoria da cobertura em Belo Horizonte e em Brasília.

Outra área na qual a Vivo pretende avançar em 2019 é na digitalização, com melhora na experiência do cliente para etapas como instalação e pós-venda, e incentivo de uso do aplicativo Meu Vivo. Christian Gebara diz que pretende ainda tornar a operadora mais relevante em iniciativas sociais, além de engajar e reter talentos e promover a diversidade de gênero e de idade.

Além desses aspectos, internamente a Telefônica deverá dar maior protagonismo ao presidente do conselho de administração. "Antes, eram sempre a mesma pessoa: o presidente da empresa e do conselho. Agora a gente quer mudar isso", afirma. Ainda na liderança da operadora (até o dia 1 de janeiro, quando passará o bastão para Gebara), Eduardo Navarro acumulará a função de diretor regulatório na Telefónica na Espanha com a de presidente do conselho de administração na brasileira.

Balanço positivo

Em discurso de despedida, Navarro comentou a expectativa da companhia para 2019. "A transição foi absolutamente planejada, a empresa não vai sofrer nenhuma descontinuidade", diz. Segundo o executivo, o grupo espanhol tem "enorme tranquilidade" com a troca de comando na subsidiária brasileira. "Não poderia haver pessoa mais capacitada do que Christian Gebara para assumir o papel", elogiou. "Estamos otimistas com o ano que vem, com um presidente melhor do que o deste ano", brincou.

Da mesma forma, Eduardo Navarro avaliou 2018 positivamente. "Anunciamos a aceleração de nosso projeto de fibra, e não tem nenhuma empresa na América Latina investindo como nós nisso", declarou. O executivo também destacou os recentes resultados trimestrais, nos quais a operadora aumentou a rentabilidade enquanto manteve uma "busca incessante" pela otimização de custos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.