Barroso pede manifestação da PGR no processo do PLC 79

O ministro Luís Roberto Barroso, relator do Mandado de Segurança impetrado no Supremo Tribunal Federal (STF) que avalia irregularidades na tramitação do PLC 79/2016, quer ouvir a posição da Procuradoria-Geral da República sobe o caso. O projeto altera o marco regulatório das telecomunicações.

Ofício nesse sentido foi enviado à PGR na quarta-feira, 15, e publicado no dia seguinte, 16, no STF. O ofício pede também que a Advocacia-Geral da União seja notificada para que, querendo, "postule seu ingresso no feito".

A decisão do ministro é mais um ingrediente para o processo, que ontem foi motivo de grande movimentação no Senado. Primeiro, o presidente da Casa, Eunício Oliveira (PMDB-CE), resolveu que iria comunicar sua decisão sobre os recursos da oposição para que o projeto fosse apreciado no plenário. Mais tarde, uma questão de ordem apresentada pela senadora Gleisi Hofmann (PT-PR) reforçou a necessidade de uma decisão sobre os recursos.

Já o senador Roberto Requião (PMDB-PR) divulgou documento entre seus pares informando todo o andamento do imbróglio e acrescentando que, além de não acatar os recursos, o Senado também não cumpriu o prazo de emendamento do projeto na Comissão Especial de Desenvolvimento Nacional (CEDN). O parlamentar só vê como saída a distribuição da matéria para comissões temáticas, já que a CEDN foi extinta.

Por fim, os signatários dos recursos apresentados em dezembro, que pediam a votação da matéria no plenário, protocolaram no STF petições reafirmando todos os pedidos e comprovando que houve o número suficiente de apoiadores aos pedidos exigido no regimento.

O vice-presidente do Senado, Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), publicou no final do dia na tramitação do PLC 79 que a questão de ordem será apreciada na próxima reunião da Mesa Diretora da Casa, sem contudo estipular uma data.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.