TIC Educação: 84% dos alunos não possuem dispositivos ou Internet em casa

Flickr/Prefeitura de Itapevi

Dados da pesquisa TIC Educação, divulgados pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.Br), nesta terça-feira, 12, mostram que em 2021, 84% dos alunos residentes em áreas urbanas não possuíam dispositivos ou acesso à Internet em seus domicílios. Na área rural, este número alcançou o índice de 92%.

Os dados também mostram que 66% dos professores da área urbana mostraram falta de habilidade para realizar atividades educacionais com os alunos com o uso de tecnologias. Na área rural, o índice de professores com esta dificuldades aumenta para 76%.

Destes professores que mostraram dificuldades em realizar atividades utilizando a tecnologia, 69% eram professores da rede pública de ensino, seja ela estadual ou municipal. No ensino particular, este número caiu para 65%.

Notícias relacionadas

Locais de acesso à Internet

Na pesquisa TIC Educação, 94% ds professores utilizaram a Internet de sua residência para ministras as atividades remotas ou híbridas. Já 75% foram à escola para acessar a Internet e desenvolver tais atividades; 11% foram a locais públicos, como shoppings e praças com WiFi; e 9% utilizaram redes pagas, como de lan-houses ou cafés com WiFi.

A pesquisa também mostrou que houve uma política voltada para fornecer conectividade para os professores. Do total, 21% dos professores da rede municipal e estadual afirmaram ter recebido apoio para o desenvolvimento das suas atividades remotas, como o custeio da conexão de acesso à Internet. Nas escolas particulares, apenas 9% receberam tal benefício.

O apoio por meio de acesso a chip de celular com pacotes de dados e voz foi concedido a 18% dos professores da rede pública estadual de ensino. Na rede municipal, este índice foi de 7%. Nas áreas rurais, 36% dos professores informaram não ter recebido apoio nenhum.

Plataformas

A maioria dos professores das escolas particulares – 73% – tiveram meios e condições de realizar atividades por meio de transmissões ao vivo, em canais de vídeo ou por meio de redes sociais. Quando observados os dados dos professores das escolas públicas, esse número foi de 55%, e na escola municipal, apenas 42% tiveram condições para executar aulas dessa forma.

Dos professores, 93% utilizaram o telefone celular para a realização das atividades remotas ou híbridas, sejam eles de escolas públicas ou privadas. Em segundo lugar vem os 84% de professores que usaram notebooks, seguidos de uso de computador de mesa, com 44%; e 11% com tablet como dispositivo para essas atividades educacionais. Apenas 12% dos professores que lecionam em áreas rurais afirmaram ter utilizado exclusivamente o telefone celular na realização de atividades educacionais.

A pesquisa

Diferentemente da edição anterior, a pesquisa TIC Educação divulgada nesta terça, relativa a 2021, foi feita com professores. A edição anterior foi feita com gestores escolares, nas mesmas escolas.

Também foram incluídos professores que atuam nas áreas rurais. Até 2019, a coleta de dados com os docentes considerava apenas aqueles que lecionavam em escolas urbanas e com classes de 5º ano e 9º ano do Ensino Fundamental e 2º ano do Ensino Médio. Eram ouvidos exclusivamente os professores de Língua Portuguesa, Matemática e de múltiplas disciplinas – no caso dos profissionais que atuavam no 5º ano.

Confira a pesquisa completa aqui.

Deixe seu comentário