Grandes desafios de segurança chegam com a revolução do 5G

Rodrigo Fernandes, gerente de segurança para América Latina da Logicalis

O mercado aguarda com ansiedade a chegada da quinta geração de rede de telefonia celular, o 5G, que irá provocar uma explosão de novas oportunidades de negócios e significativo avanço tecnológico e inovações. 

Mas tudo isso tem seu preço: aumento da vulnerabilidade das redes a ataques cibernéticos, que podem comprometer negócios em empresas de variados setores da economia. 

A segurança, portanto, precisará ser explorada como uma iniciativa de negócio, especialmente quando falamos de novas arquiteturas que irão surgir quando o 5G estiver disponível e se unir ao Edge Computing e a tecnologias como inteligência artificial (IA) e machine learning. Por isso, a importância de traçar um plano estratégico robusto de segurança, que seja refletido na arquitetura corporativa, com a inclusão de tecnologias e ferramentas específicas de segurança. Tudo isso apoiado em processos e modelos aprimorados de gestão.

Notícias relacionadas

Neste cenário, o importante é se preparar para ingressar nesse novo ecossistema de negócios, permeado por soluções de segurança, esta que começa a ganhar papel de agente de transformação de negócios. Os provedores de rede devem se concentrar em proteções de software para cobrir os riscos exclusivos do 5G. Tecnologias para controle da segurança podem ser verdadeiros habilitadores para novos negócios que farão uso intensivo do 5G.

Alerta amarelo

Diante da explosão de inovações com o 5G, impulsionando especialmente aplicações de internet das coisas (IoT), carros autônomos, telemedicina e tantas outras, os hackers estão atentos, de olho nas vulnerabilidades como novas brechas para ataques cibernéticos.

As cidades inteligentes e a Indústria 4.0, por exemplo – que trazem com elas a essência da inovação, que é proporcionar às vidas pessoal e profissional mais eficiência e conveniência, segurança e produtividade – têm no coração da sua estratégia o 5G. E cada negócio, cada inovação precisará desenhar sua estratégia de proteção. 

A tecnologia vai fornecer às cidades do futuro (que já se faz presente) monitoramento da infraestrutura, automação inteligente em fábricas, em residências e vias públicas. E, então, mais portas serão abertas para invasões, caso esses projetos não nasçam de mão dadas com a segurança.

A evolução seguirá seu curso frenético, com a união de 5G, Edge Computing e IA, gerando casos de uso inovadores para quase todas as indústrias. Assim, tecnologias aceleradas pelo 5G vão mudar a forma como hoje a segurança é tratada. É hora de virar a chave para um novo conceito de segurança, altamente estratégico e impulsionando negócios.

União de forças no novo cenário

É preciso unir forças desde o alto comando das empresas a colaboradores e antecipar essa visibilidade aos gestores sobre possíveis impactos técnicos e de negócios que envolvam os sistemas 5G, para torná-lo seguro. Despertá-los para a necessidade de sempre estar alinhado à conformidade regulatória, em que requisitos regulatórios devem estar presentes na evolução e no crescimento orgânico dos sistemas que compõem o 5G. 

É de fundamental importância colocar na lista de ações o treinamento do time que irá cuidar das evoluções do 5G no negócio, prepará-los e alertá-los quanto às vulnerabilidades, tecnologias e políticas de proteção. Uma jornada de aprendizado em que o conhecimento é o principal diferencial para ingressar nessa nova era. Prepare-se!

*- Sobre o autor: Rodrigo Fernandes é gerente de segurança para América Latina da Logicalis. As opiniões expressas nesse artigo não necessariamente refletem o ponto de vista de TELETIME.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.