Eutelsat migra afiliada da Globo em São Paulo para a banda C planejada

A Eutelsat migrou cerca de 300 sites da emissora afiliada da Globo no interior de São Paulo, a TV TEM, utilizando a capacidade do satélite 65 West A. Assim, os equipamentos profissionais da emissora migraram da banda C tradicional (3,7 GHz a 4,2 GHz) para a banda C planejada, a faixa de 4,5 GHz a 4,8 GHz, uma medida já de preparação para o eventual leilão de 5G em 3,5 GHz a ser promovido pela Anatel. 

Segundo o diretor da Eutelsat do Brasil, Rodrigo Campos, trata-se da primeira emissora a utilizar a  solução "Banda C Planejada", que é uma espécie de empacotamento para simplificar e dar maior agilidade ao processo de migração. "É um programa que a gente consolidou ao longo do tempo e virou solução de prateleira", disse ele ao TELETIME nesta segunda-feira, 8. 

A área de cobertura da TV TEM é de 318 municípios em uma região de 8,3 milhões de habitantes, o que significa cerca de 49% da população no interior de São Paulo. A operação da Eutelsat adaptou ou substitui os equipamentos, reapontando as antenas para a posição orbital de 65º Oeste, finalizando os cerca de 300 sites em menos de 45 dias

O processo sofreu um certo impacto da pandemia do coronavírus, com as restrições de locomoção e de abertura de estabelecimentos. Mas, por conta da área de cobertura da emissora, que tem concessão apenas em São Paulo, isso acabou sendo resolvido de melhor forma. "Facilitou ter sido no mesmo estado; e o deslocamento podia ser feito com a equipe local, voltando à base", disse. 

5G

Rodrigo Campos explica que já realizou mais de dez casos de migração nesse programa, mas que a TV TEM é o primeiro já a utilizar a "solução de prateleira". Segundo ele, há "vários clientes" em conversas com a Eutelsat para realizar essa operação desde o lançamento do 65 West A, em 2018. "Nunca pararam de nos procurar. Mas foi impulsionada pela consulta pública do leilão de 5G da Anatel, que colocou o uso da banda C", afirma. 

"Está havendo discussão de como realoca para a banda C mais baixa, e algumas emissoras já estão se antecipando porque já vislumbram problemas", afirma Campos. "Essa tendência [de migração] já vem acontecendo, e a TV TEM não é a primeira que tem essa motivação, mas é importante", destaca. 

Além da antecipação ao leilão de 5G, as emissoras também estariam interessadas na opção tecnológica do satélite da Eutelsat. Isso porque o atual satélite, o Star One C2, da Embratel, ainda é utilizado para serviços analógicos

1 COMENTÁRIO

  1. Estranha a informação de reapontamento das antenas. A TV Tem utilizava o StarOne C1 que fica nos mesmos 65°W. Vejo como necessária só a troca do LNBF por um que receba a banda planejada.

Deixe uma resposta para André Camargo Cancelar resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.