Claro e PPPs ficam praticamente empatadas na liderança da banda larga

O grupo de empresas de pequeno porte que presta serviços de banda larga fixa contabilizou, durante o mês de novembro de 2019, uma quantidade de acessos bastante próxima à do grupo Claro, líder de mercado do segmento: foram 9,5 milhões de contratos para as chamadas PPPs, contra 9,6 milhões da Claro.

Considerando eventuais subnotificações de acessos, é bastante provável que, reunidas, as prestadoras de pequeno porte já sejam a principal força da banda larga fixa brasileira. Isso porque no mês de novembro foi contabilizado um total de 32,4 milhões de acessos do serviço em todo o País, ou 700 mil acessos a menos que os 33,1 milhões reportados pela Anatel em outubro.

Notícias relacionadas

Fora da curva, a queda em novembro pode indicar que alguns players não reportaram o dado adequadamente, como costuma ocorrer entre algumas empresas de pequeno porte. No mês de outubro, por exemplo, as estatísticas indicavam que as PPPs já estavam com 10 milhões de acessos ativos, contra 9,6 milhões da Claro no décimo mês de 2019. Na divulgação de dezembro, os dados de novembro devem ser corrigidos.

De toda forma, além da Claro, os dois outros grandes grupos do segmento também registraram redução no número de acessos ativos: a Vivo contabilizou 7,1 milhões de contratos em novembro, contra 7,2 milhões um mês antes. Já a Oi ficou com 5,4 milhões em novembro contra 5,5 milhões no mês anterior.

A TIM, por sua vez, passou de 569 mil acessos em outubro para 574 mil em novembro, enquanto a Algar ficou com 611 mil ante 610 mil.

Tecnologias

Quando consideradas as tecnologias da banda larga fixa, o xDSL segue como principal forma de acesso em novembro, com 10,71 milhões de contratos habilitados. A quantidade, contudo, segue em queda: um ano antes, 13,23 milhões de acessos utilizavam a opção.

Grande destaque tecnológico nos últimos anos, a fibra ótica teve uma pequena queda numérica em novembro – mais uma vez, provavelmente causada pela subnotificação. No décimo primeiro mês de 2019 eram 9,52 milhões de acessos do gênero, contra 9,69 milhões em outubro (ainda assim bem mais que os 5,65 milhões de novembro de 2018).

Do total dos contratos em fibra, 5,63 milhões eram operados pelas PPPs, contra 2,55 milhões da Vivo, 933,3 mil da Oi, 333,5 mil na Algar, 244,9 mil do grupo Claro e 170,1 mil na operação da TIM.

No geral, 9,62 milhões de acessos de banda larga fixa eram habilitados pelo cabo coaxial em novembro em todo País (tecnologia predominante na rede da Claro); 2,08 milhões, pela tecnologia de rádio; 261,4 mil, via satélite; e 246,1 mil, via FWA (acesso fixo-móvel).

Velocidades

Em novembro, também cresceram os pacotes de Internet fixa com velocidades acima de 34 Mbps. O nível de serviço chegou a 12,65 milhões de contratos, ou cerca de 39% do total de acessos reportados no mês. Em novembro de 2018, apenas 7,75 milhões de clientes contavam com tal velocidade.

2 COMENTÁRIOS

  1. Na minha rua não tem internet fixa, gostaria de pedir um favor que o senhor pedisse para algumas empresa de internet fixa coloca-se internet na minha rua cep 06726-750, o governo de cotia fala que esta rua asfaltada, mas de 30 anos sem asfalto e ainda fala que e zona rural aqui e grande são paulo e grande são Paulo não tem zona rural.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.