ISPs e fibra crescem, mas banda larga fixa perde 43 mil contratos em janeiro

Uma correção dos dados de janeiro do mercado de banda larga fixa foi divulgada pela Anatel nesta quinta-feira, 7, e indicou que o SCM perdeu 43,2 mil acessos no primeiro mês de 2019, finalizando o período com 31,134 milhões de contratos após leve queda de 0,14% da base total. Em doze meses, o indicador aponta alta de 6,13% que representa 1,797 milhão de contratos novos desde janeiro de 2018. Destes, 1,532 milhões foram adicionados pelos pequenos provedores de Internet (ou ISPs).

Com 10,9 mil adições, o grupo América Móvil (Claro, Embratel e Net) obteve o melhor desempenho durante janeiro, seguido pela TIM (com 8,9 mil novos contratos) e pelos ISPs (6,3 mil). As informações são bem diferentes das divulgadas há uma semana: na ocasião foi sugerida uma queda nos acessos dos ISPs, uma alta fora da curva na operação da TIM (causada por um "quantitativo de assinantes erroneamente informado pelo grupo", segundo a agência) e uma adição líquida de 79 mil contratos durante o mês.

Os números de janeiro para Oi (que perdeu 51,5 mil acessos), Telefônica (menos 18,4 mil), Sky (queda de 3,5 mil) e Algar (que adicionou 3,2 mil clientes) seguiram os mesmos. Dessa forma, América Móvil (9,372 milhões de clientes), Telefônica (7,561 milhões) e o conglomerado dos ISPs (6,385 milhões) seguem com as maiores bases, seguidos por Oi (5,942 milhões de acessos). Em um ano, é da Copel Telecom a marca de maior de variação percentual na base de acessos (31,8%, para 309 mil clientes), seguida pelos ISPs (31,5%) e pela TIM (18,1%) – que, por sua vez, teve o melhor resultado percentual para janeiro (1,84%). A operadora fechou o mês com 493 mil acessos.

Tecnologias

Entre as diferentes tecnologias, 127,3 mil novos contratos de fibra ótica foram registrados durante janeiro frente dezembro; os dados também foram afetados pela revisão nas estatísticas. Ainda assim, eles representam alta de 77,1% em um ano, para 5,785 milhões de acessos. Conforme projeções divulgadas pelo Broadband Forum, tal crescimento deve se tornar ainda mais intenso até 2025 – neste intervalo, a entidade setorial da banda larga fixa estima que os contratos baseados em fibra ótica ultrapassem os 20 milhões no País. Em janeiro, pelos dados da Anatel, quedas ainda foram reportadas entre os acessos em cobre (menos 137 mil, para 12 milhões) e via rádio (29 mil negativos, para 2,1 milhões). No caso do cabo, 4,2 mil contratos foram adicionados, para 9,432 milhões.

Velocidades

Influenciados também pela alta da fibra ótica, os acessos com velocidades acima de 34 Mbps cresceram ainda mais do que o divulgado anteriormente: foram 350,9 mil novos em janeiro. Dessa forma, o recorte de velocidade mais veloz acompanhado pela Anatel fechou o primeiro mês de 2019 com 8,48 milhões de contratos, ou 27,2% da base de usuários fixos do País após 3,923 milhões de novos clientes receberem tal nível de serviço desde janeiro de 2018. Todas as outras categorias registraram quedas, com destaque para a que reúne velocidades entre 2 Mbps e 12 Mbps: são menos 220 mil acessos em um mês, para 9,620 milhões. A faixa segue como a mais popular do País.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.