Acessos de banda larga fixa em fibra devem crescer 279% no Brasil até 2025

Após apontar a marca de 1 bilhão de acessos em banda larga fixa em outubro do ano passado, o Broadband Forum divulgou estimativa de que, até o final de 2025, 1,2 bilhão de contratos do serviço estejam ativos. A demanda reprimida em países desenvolvidos e sobretudo a crescente disponibilidade da fibra ótica devem ser as principais razões para o salto: no mundo, a expectativa é que a quantidade de acessos em FTTH, FTTP (fiber-to-the-premises) ou FTTB (fiber-to-the-building) dobrem. Já para o Brasil é aguardado um crescimento de 279% na tecnologia durante o intervalo.

Como o País encerrou 2018 com 5,593 milhões de acessos viabilizados pela fibra ótica, as projeções do Broadband Forum (elaboradas ao lado da empresa de análise de mercado Point Topic) sugerem aproximadamente 21,1 milhões de contratos do gênero ao fim de 2025. Ainda assim, o crescimento percentual robusto fica abaixo do projetado para outros países em desenvolvimento como Tailândia (alta de 3352%), Índia (676%), Argentina (320%) e Colômbia (291%); ou mesmo mercados desenvolvidos como Bélgica (2555%) e Reino Unido (1907%). No globo, a alta projetada para os acessos em fibra é de 51%, atingindo assim 59% de toda a base de banda larga fixa mundial em 2025. No mesmo período, a quantidade de acessos baseados em DSL/ADSL deve recuar 39%, enquanto as tecnologias FTTC/VDSL devem crescer 28%.

Considerando todas as tecnologias, a projeção da entidade setorial da indústria de banda larga fixa é de alta de 30% nos acessos brasileiros; já que o País encerrou 2018 com 31,048 milhões de contratos ativos, isso significaria algo em torno de 40,3 milhões em 2025. No mundo, a estimativa é de alta de 24% no número de acessos, com destaque para a demanda de países como Indonésia (salto de 116%), Tailândia (82%), África do Sul (76%) e México (54%). Como potenciais habilitadores de ofertas em áreas que hoje sofrem com a escassez de opções, o Broadband Forum lembrou das novas opções para banda larga via satélite como a constelação OneWeb e do possível uso de espaços em branco de televisão (TV White Spaces) para a oferta do serviço. Por outro lado, acredita-se que 89% de todos os contratos ainda estejam concentrados nos 30 principais mercados do mundo em 2025.

5G

Outra observação feita pela entidade trata de um possível efeito da chegada do 5G sobre o crescimento da banda larga fixa em países onde o serviço já é maduro, como Espanha ou Alemanha. "Mercados de banda larga bem desenvolvidos e saturados verão um crescimento lento. A desaceleração e, em alguns mercados, o possível declínio nos assinantes seriam impacto do lançamento de serviços 5G super rápidos, que já estão sendo testados em todo o mundo. Prevemos que o impacto será especialmente perceptível nos mercados de banda larga fixa mais saturados, onde consumidores de banda larga mais experientes e com maior experiência terão maior probabilidade de adotar novas tecnologias interessantes, como o 5G." Como exemplo, o fórum citou a dinâmica na China, "onde a penetração 4G já é quase três vezes maior do que a da banda larga fixa". É importante notar que o Broadband Forum aposta em uma convergência total entre redes fixas e móveis diante da conectividade de quinta geração. Confira na tabela abaixo o índice de desligamentos por mercados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.