Prefeitura de São Paulo quer dobrar número de praças digitais em 2015

A Prefeitura de São Paulo planeja pelo menos mais três licitações em 2015 envolvendo o projeto de cidade inteligente, segundo informou o secretário de Serviços do município, Simão Pedro, nesta terça-feira, 3, na Campus Party. Além de dar prosseguimento com o projeto de expansão do programa Praças Digitais, a administração quer também implantar iluminação inteligente nas vias e ressuscitar os telecentros, agora com uma nova abordagem.

Notícias relacionadas
O Praças Digitais deverá ter a meta duplicada para 240 unidades, apesar de ainda estar devendo 12 a serem entregues – estão em funcionamento atualmente 108 praças, das 120 programadas para 2014. Assim, deverá ter a segunda fase implantada neste ano, cobrindo ao menos cada um dos 96 distritos de São Paulo. "Esse ano nossa coordenadoria tem a intenção de abrir outro processo para financiamento de praças digitais para duplicar esse número", disse. "A ideia é trazer o acesso à Internet como serviço público".

Por sua vez, os novos telecentros serão chamados de Fab Lab (do inglês "fabrication laboratory"), ou centros digitais que oferecem não apenas conectividade, mas também recursos como equipamentos e auxílio qualificado. A ideia é implantar o conceito em 12 unidades até o final do ano, com uma simulação já na Campus Party. "A gente queria ter um telecentro do futuro, que oferecesses novos equipamentos e ferramentas, que pudesse ser suporte a pequenos empreendedores. É um espaço público para oferecer acesso à Internet e a ferramentas modernas, como a impressora 3D, mas não só para jovens e estudantes, mas também ter um espaço educativo, que a comunidade possa utilizar". A prefeitura deve lançar o edital de licitação ainda nesta semana ou, "no mais tardar", na próxima. "Vamos lançar edital, comprar equipamentos e investir muito em capacitação também."

A intenção da administração é de atingir a periferia da capital paulista na primeira fase: a primeira unidade deverá ser na Cidade Tiradentes, seguida de um Fab Lab no centro cultural da Freguesia do Ó, no Parque do Jóquei (Butantã) e na antiga estação de Itaquera. "Vamos ter no centro também, porque moram 20 mil pessoas lá, mas circulam 2,4 milhões de pessoas", afirma Simão Pedro.

O secretário falou brevemente sobre refazer a iluminação pública. "Vamos trocar toda a iluminação por (lâmpadas de) LED, com comunicação online, e já estamos fazendo isso em algumas vias da cidade", afirma, sem dar detalhes sobre o tipo de comunicação ou como o gerenciamento que deverá ser feito. Segundo ele, a licitação deverá ser aberta "provavelmente no mês que vem, quem sabe ainda neste mês".

A prefeitura deverá ainda promover um hackatoon (maratona de desenvolvimento) para aplicativos de serviços públicos para a cidade. "São Paulo é uma cidade inteligente, mas ficou um pouco atrás e queremos recuperar o tempo", declarou Simão Pedro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.