OUTROS DESTAQUES
Universalização
Licitações do Fust discriminam celulares, reclama TCO
quinta-feira, 13 de junho de 2002 , 18h04 | POR REDAÇÃO

Os projetos do Fust deveriam considerar a telefonia celular como uma ferramenta para a universalização dos serviços de telecomunicações. Esta foi a principal crítica apresentada pelo presidente da TCO, Mario Cesar Araujo, durante sua palestra no 5º Seminário Telecom.
Segundo Araújo, em programas como o que instalará linhas em áreas estratégicas, na fronteira brasileira, seria mais rápido e mais barato usar a telefonia móvel em vez da telefonia fixa. "As operadoras celulares pagam o Fust, mas não têm o direito de participar de suas licitações", criticou, lembrando que 95% da fronteira brasileira está dentro da área de atuação da TCO e que uma ERB ofereceria abrangência muito maior que um ponto de telefonia fixa.

Críticas da Embratel

Em sua palestra no mesmo seminário, a vice-presidente de serviços locais da Embratel, Purificación Carpinteyro, também criticou o Fust. Para a executiva, falta detalhamento dos programas que utilizarão os recursos do fundo. Na opinião de Purificación, a definição da taxa cobrada deveria acontecer depois do detalhamento dos programas e de suas metas.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME. Mais informações pelo email eventos@teletime.com.br

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME.

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
Top