Quase metade das escolas rurais seguem sem acesso à Internet

A edição de 2020 da pesquisa TIC Educação apontou que quase metade (48%) das escolas brasileiras em áreas rurais seguem sem acesso à Internet. Nas áreas urbanas, o percentual cai para 2%.

Os dados fazem parte de levantamento do Cetic.br e NIC.br divulgado nesta terça-feira, 31. Em todo o País, são 18% as instituições de ensino que ainda não contam com a conectividade; a pesquisa engloba tanto escolas públicas quanto particulares.

Além do abismo entre áreas urbanas e rurais, também há discrepância entre diferentes regiões do País. No Norte, 48% das escolas não possuíam Internet no ano passado, frente 23% sem a opção no Nordeste, 6% no Sudeste, 3% no Sul e 2% na região Centro-Oeste.

Notícias relacionadas

A pesquisa também revelou que a situação é mais complicada em escolas municipais (com 29% sem conectividade), de educação infantil ou com os primeiros anos do fundamental (22%) e com baixo número de alunos: nas instituições com até 50 estudantes, 45% não têm Internet.

Razões

A TIC Educação abordou algumas das causas para a ausência de conectividade na rede de ensino brasileira. A ausência de infraestrutura para atendimento na região foi notada por 74% dos respondentes, ao passo que o alto custo dos serviços foi citado por 48%.

Como reflexo, 70% dos respondentes reportaram desafios no atendimento remoto de alunos que vivem em áreas isoladas ou remotas desde o começo da pandemia de covid-19.

Fibra

Entre os 82% de escolas que já acessam a Internet, 40% se valem de serviço viabilizado por fibra óptica. Há um ano, o indicador apontava 36%.

Já o cabo habilitou 21% das conexões no ensino em 2020, enquanto 8% são atendidas via conexão DSL e outros 8%, a partir de Internet via satélite. Rádio e modems 3G/4G (6% cada) também foram lembrados.

Se avaliadas as velocidades, 38% das escolas que participaram da pesquisa contavam com pacotes de até 10 Mbps (não ideal para uso educacional). Outras 15% tinham serviço entre 11 e 50 Mbps e 19%, acima dessa marca. Já 27% das instituições não sabem informar a velocidade da principal conexão utilizada.

Cabe lembrar que o atendimento de escolas com Internet deve ser uma das obrigações atreladas ao leilão de 5G. Nesta terça-feira, a Anatel sinalizou expectativa que provedores regionais colaborem com a empreitada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.