Fibra avança, mas disparidade entre escolas urbanas e rurais permanece

Divulgada nesta terça-feira, 9, a pesquisa TIC Educação 2019 mostra que aumentou não só a conectividade, mas também a presença de fibra nas escolas, tanto nas urbanas quanto rurais. Com isso, também houve um incremento na velocidade dessas instituições de ensino. Porém, ainda há uma grande disparidade entre as localidades urbanas, onde a conexão é praticamente onipresente, e as rurais, onde menos da metade das escolas entrevistadas contava com acesso à Internet.

O levantamento TIC Educação 2019 é do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), por meio do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br), do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br).

A pesquisa mostrou ainda que 64% das escolas urbanas contavam com ambiente ou plataforma de ensino a distância (EAD), contra 47% em 2018. Nas rurais, o índice caiu: de 17% no anterior para 14%. Vale lembrar que os dados foram coletados entre agosto e dezembro de 2019 – ou seja, sem considerar ainda os efeitos de digitalização provocada pela pandemia do coronavírus

Escolas urbanas

No universo das escolas urbanas, 99% possuem "computador com acesso à Internet", contra 98% no ano anterior. Nas regiões Centro-Oeste,  Sudeste e Sul, esse nível chega a 100%. No Nordeste, está em 98%, enquanto no norte, a penetração é de 95%. 

A conexão discada já foi abandonada nessas unidades de ensino, agora mostrando índice de 100% de penetração da banda larga. Desse total, a maior parte, 36%, contava com acesso via fibra ótica. Isso significa um crescimento de 10 pontos percentuais em relação à pesquisa do ano passado.

A conexão de cabo está presente em 35% das escolas, enquanto 12% contam com cobre (xDSL). A conexão via rádio (6%), satélite (4%) e modem 3G/4G (5%) completam o quadro.

Com o aumento da penetração da fibra, crescem também as velocidades: 

  • As conexões acima de 51 Mbps são o maior grupo, presente em 17% das entrevistadas, um aumento de 9 p.p. em relação ao levantamento do ano passado. 
  • A segunda faixa mais usada é a de 3 a 4 Mbps, com 13%; 
  • Os acessos de 9 a 10 Mbps e de 21 a 50 Mbps têm 11% cada. 

O acesso via Wi-Fi está presente em 92% das escolas urbanas, mas mais da metade delas (53%) não liberam o sinal para alunos. Em 30%, há a possibilidade de uso, mas com restrições, e em 8% há o uso livre por todos os alunos. 

Escolas rurais

No total, 40% das escolas rurais possuem computador com acesso à Internet, um aumento de 6 p.p. comparado a 2018. A pesquisa coloca que 45% sequer possuem computador, e 15% não possuem o dispositivo ou não têm acesso. 

A banda larga fixa é utilizada em 86% das escolas rurais. Também nessas cresceu o uso da fibra ótica, passando de 13% para 20%, um aumento de 7 p.p. em relação a 2018.

Desse total, 3% utilizam acesso por cobre (xDSL); 19% via cabo; 17% via rádio; 28% via satélite. O acesso por meio de modem 3G ou 4G está presente em 8% das escolas. 

Além disso, a conectividade por meio de Wi-Fi está em 87% das escolas rurais com algum acesso à Internet. Porém, em apenas 4% dessas localidades o acesso é livre para todos, inclusive para alunos. Os alunos são privados do acesso em 45% das escolas, enquanto em 38% eles podem usar, mas com uso restrito ou com senha. 

A velocidade predominante nas escolas rurais mudou. Em 2018, a mais popular era a de 1 Mbps, presente em 18% na época. Em 2019, uma faixa mais veloz tomou a primeira posição:

  • Agora, a de 9 a 10 Mbps é a mais popular, presente em 18% das entrevistadas. 
  • Para 14%, a velocidade é de 2 Mbps é a mais utilizada. 
  • As conexões de até 256 Kbps e na faixa de 5 a 8 Mbps são usadas em 13% cada. 
  • Apenas 3% contam com acesso de 11 a 20 Mbps; 2% para de 21 Mbps a 50 Mbps; e 1% com velocidades acima de 51 Mbps. Ainda assim, é um aumento – na pesquisa de 2018, nenhuma escola informou ter conexão acima de 21 Mbps.

Alunos

Segundo a pesquisa, 98% dos alunos de escolas urbanas já acessaram a Internet. Considerando um período de pelo menos três meses do último acesso, contudo, essa proporção cai para 83%. 

Dos que utilizam a Internet, 76% o fazem mais de uma vez por dia. Para 17%, o acesso acontece pelo menos uma vez por dia; enquanto para 5%, o acesso é pelo menos uma vez por semana; e para 1%, pelo menos uma vez por mês.

A pesquisa TIC Educação 2019 não coletou dados de alunos das escolas rurais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.