Com acordo de 4,2 mi de euros, Amos Genish renuncia ao conselho da Telecom Italia

Durante reunião do conselho de diretores da Telecom Italia nesta quinta-feira, 27, o ex-CEO da companhia (e também da GVT e da Vivo no Brasil), Amos Genish, apresentou sua renúncia como conselheiro. Ele já não tinha posição executiva e de diretor não independente, além de não fazer parte de comitês internos e de não possuir nenhuma participação no capital da companhia. Na mesma ocasião, a diretoria aprovou de forma unânime a substituição por cooptação por Frank Cadoret, executivo que teve passagem pela SFR e, mais recentemente, trabalhou como gerente diretor do Grupo Vivendi, virando então CEO do Canal+ na França.

A Telecom Italia diz que a renúncia de Genish segue um acordo feito com o ex-presidente do grupo. O acordo de renúncia mútua de qualquer alegação ou disputa na relação trabalhista entre as partes, custou à italiana 4,2 milhões de euros a serem pagos para Genish, o que deverá ser feito em até 30 dias.

Em comunicado, a controladora da TIM Brasil afirmou que o conselho "deu boas vindas à renovação do diálogo que resultou na votação unânime da cooptação [de Cadoret] e deseja a continuação e fortalecimento de tal diálogo entre acionistas que devem levar a uma governança compartilhada e finalmente estável".

Notícias relacionadas

Genish deixou a presidência da Telecom Italia em novembro do ano passado após disputas internas entre os acionistas Vivendi e o Fundo Elliot. Ele havia sido oficializado em setembro de 2017, mas já no começo de 2018, precisou negar rumores de que iria sair da companhia.

Deixe seu comentário