Vivo detalha estratégia para GSM

A Vivo anunciou nesta quinta-feira, 22, que até o final de março lançará no mercado 23 modelos de aparelhos GSM. Na quarta-feira, 21, TELETIME News visitou uma loja e pôde constatar que estão disponíveis neste momento 13 modelos. Eduardo Aspesi, vice-presidente de marketing da operadora, afirma que o processo de homologação e de testes nas diversas regiões é que provocará o lançamento gradual dos aparelhos. Roberto Lima, presidente da companhia, informou que até o Dia das Mães a operadora terá 35 modelos de aparelhos na tecnologia GSM, número semelhante ao do portfolio CDMA.
A direção da operadora apresentou nesta quinta a estratégia para a venda dos aparelhos GSM, o que tem sido alvo de especulações, muitas das quais confirmadas. Esses handsets serão oferecidos aos clientes que viajam muito (por causa do roaming digital) e também para quem procura opções mais baratas. ?Neste mundo global, o que vale é a escala. Existe uma diferenciação de preço que para as camadas mais pobres faz a diferença?, afirma Lima.
O presidente da Vivo voltou a dizer que os investimentos na rede CDMA continuam e que a empresa não pretende desabilitar a rede. Confirmou também, conforme adiantado por este noticiário, que as vendas dos planos pós-pagos já começaram. Até agora a Vivo tem 300 mil habilitações da rede GSM, sendo que 90% são novos clientes.
Na semana passada, durante um fórum de telecomunicações em Paris, a Telefónica anunciou que em janeiro a Vivo tinha 7 mil clientes. Lima argumentou que fevereiro foi um mês muito bom, em que as vendas aumentaram muito, e em março ?arrebentou?.
Sobre as condições menos vantajosas para as lojas exclusivas comercializarem os aparelhos GSM, conforme antecipado por TELETIME News, Lima esclarece que, de fato, as condições comerciais são diferentes porque, entre outras coisas, no GSM pode-se comercializar apenas o chip. ?Algumas lojas foram resistentes. Mas esse problema será resolvido até o fim da semana?, informou o diretor executivo da Vivo, Paulo César Vasques.

CDMA

Lima admitiu que os pedidos de aparelhos CDMA têm diminuído, mas afirmou que mantém, desde o anúncio da nova rede, conversas constantes com os fornecedores para que adaptem suas linhas de produção à nova demanda. A Nokia será uma das principais fornecedoras de aparelhos GSM para a Vivo, com o lançamento de 15 novos modelos no primeiro semestre.
Almir Narciso, diretor-geral da Nokia do Brasil, disse que a companhia não foi prejudicada pelo desaquecimento da demanda de CDMA em função da decisão de descontinuar a fabricação da tecnologia até 1º de abril. ?Nós participamos da concorrência para a instalação da rede, então sabíamos que a maior compradora de CDMA do mundo estaria focando em GSM. Nossa decisão foi tomada, em grande parte, por causa da estratégia da Vivo?, explicou ele. Narciso informa que as antigas linhas de produção CDMA da fábrica em Manaus já foram alteradas para GSM.

1,9 GHz

O presidente da Vivo voltou a afirmar seu interesse na faixa de 1,9 GHz para ampliar a cobertura da empresa nos seis Estados do Nordeste e em Minas Gerais, onde a empresa não está presente. O executivo mostrou-se confiante na retomada da licitação, suspensa pela Justiça para atender a recurso da Telemig Celular e disse não acreditar no leilão conjunto desta faixa com as faixas de terceira geração. ?A licitação da faixa de 1,9 GHz já passou da fase de consulta pública, enquanto as faixas para 3G ainda não?.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.