ISPs passam Oi e se tornam terceiro maior grupo de banda larga fixa em novembro

Foto: pixabay.com/Pexels.com

A banda larga fixa voltou a crescer em novembro, conforme balanço divulgado pela Anatel no final da tarde desta sexta-feira, 21. Foram 107,4 mil adições líquidas no mês (aumento de 0,35%) e de 2,481 milhões em 12 meses (avanço de 8,68%), totalizando 31,058 milhões de conexões no País. Mais uma vez, o destaque é do grupo dos pequenos provedores regionais (ISPs), que voltou a apresentar o maior crescimento mensal, com 104,3 mil adições líquidas (avanço de 1,72%), totalizando 6,186 milhões de acessos. Com isso, pela primeira vez, os ISPs passaram a Oi oficialmente, tornando-se o terceiro maior grupo do País.

Vale lembrar, contudo, que a estimativa dos próprios provedores regionais baseada na pesquisa TIC Domicílios 2017 é que havia ao menos 11 milhões de acessos ao todo, tornando-os líder no mercado brasileiro de banda larga. A diferença se daria por uma grande quantidade de contratos não contabilizados por não terem sido informados pelos próprios ISPs.

Pelo balanço de novembro da Anatel, a Oi reduziu a base em 21,5 mil acessos no mês (redução de 0,35%) e ficou com 6,073 milhões de conexões. A líder do mercado, segundo a agência, ainda é a América Móvil (Claro, Embratel e Net), com 9,350 milhões de acessos após um aumento mensal de 29,4 mil novos contratos (0,32% de crescimento). A Vivo vem logo após, com 7,594 milhões de acessos (após redução de 5,5 mil conexões no mês).

Tecnologia e velocidade

A fibra continuou sendo a tecnologia que mais cresce no mês. De outubro para novembro, foram 138,9 mil acessos a mais (aumento de 2,64%), totalizando 5,394 milhões de acessos. O cabo também avançou: 27,8 mil adições líquidas (0,30%), total de 9,428 milhões de contratos. Por outro lado, a base de xDSL voltou a cair: 78,6 mil desconexões (redução de 0,63%), embora ainda seja a maior tecnologia no País, com 12,376 milhões de linhas.

Em termos de velocidade, a faixa que mais avançou no mês foi a de conexões acima de 34 Mbps, com 318,7 mil adições líquidas (aumento de 4,32%), totalizando 7,704 milhões de contratos. Vale ressaltar que em 12 meses, essas velocidades aumentaram quase 88% (3,606 milhões de adições líquidas). Em seguida, vem a faixa de 12 Mbps a 34 Mbps (prestes a ser suplantada pelas velocidades acima de 34 Mbps, como se pode ver no gráfico acima), que adicionou quase 53 mil acessos (0,66%), somando 8,055 milhões de conexões. A mais usada no País, entre 2 Mbps a 12 Mbps, caiu 1,64% no mês (167,1 mil desligamentos), totalizando 10,018 milhões de contratos.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.