Para Telenor, redes 5G dependem da evolução das redes fixas

Frederico Guillén, presidente da divisão de acesso fixo da Alcatel-Lucent, aposta que a tecnologia 5G impulsionará significativamente a quantidade de acessos em fibra e mesmo o acesso por redes de cobre com tecnologias G.Fast e VDSL2. "As redes fixas não são legadas. Elas são o futuro", diz ele, lembrando que as redes 5G terão raios de cobertura muito menores e precisarão de backhaul fixo em muito maior escala, com velocidades muito maiores. "As redes 5G serão, na prática, continuação wireless das redes fixas de banda larga", prevê o executivo.

A visão da Alcatel-Lucent é reforçada pela presidente da Telenor da Noruega, Berit Svendsen. Para a executiva,  o grande desafio das redes fixas hoje é dar conta de período de picos, e essa mesma realidade está cada vez mais comum em redes móveis. "Construir redes fixas é o caminho mais seguro para assegurar a performance de redes móveis", diz ela. Na Noruega, 30% dos lares têm FTTH, 25% têm cable modem e 30% tem xDSL, dos quais 67% estão com VDSL2.  Os executivos participaram do Broadband World Forum, que acontece esta semana, em Londres.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.