Telefónica tem queda de 21,1% no lucro líquido no trimestre

O Grupo Telefónica divulgou nesta sexta, 8, queda nas receitas e nos lucros no terceiro trimestre do ano, especialmente no lucro líquido, que chegou a cair 21,1%. Entretanto, a companhia conseguiu compensar os recuos com a diminuição de 3,7 bilhões de euros na dívida líquida somente entre julho e setembro e agora se mantém dentro do guidance, que prevê montante abaixo dos 47 bilhões de euros no ano.

De maneira geral, o desempenho do grupo foi uniforme em todas as suas operações. A receita total da Telefónica ficou em 14,063 bilhões de euros no terceiro trimestre de 2013, queda de 9,5% em relação ao mesmo período em 2012. Mesmo com queda de 6,8%, a unidade da América Latina foi a que trouxe mais receitas: 51% do total, com 7,101 bilhões de euros. A Telefónica Europa, por sua vez, caiu 9,8% e fechou setembro com 6,708 bilhões de euros. No acumulado de nove meses, o grupo espanhol registrou queda de 8,4% nas receitas, totalizando 42,626 bilhões de euros, ainda com dominância do negócio latino-americano, com 21,783 bilhões de euros.

O lucro líquido ficou em 1,089 bilhão no trimestre, uma queda de 21,1%. Nos nove meses do ano, o desempenho foi de 3,145 bilhões de euros (recuo de 9%). De julho a setembro, o lucro operacional da empresa ficou em 2,370 bilhões de euros, queda de 12,5%. Considerando os três trimestres do ano, foram 6,686 bilhões de euros, recuo de 16,5%. Apesar de contar com receitas maiores, as operações na América Latina trazem menos lucro (3,330 bilhões nos nove meses) para a empresa do que as europeias (3,705 bilhões). O lucro operacional antes de depreciação e amortização (OIBDA) fechou o trimestre em 4,678 bilhões, queda de 12,6%. No acumulado, foram 14,1 bilhões, diminuindo 10,7% em relação ao mesmo período em 2012.

A companhia alerta para o impacto da desconsolidação dos resultados do Grupo Atento em dezembro do ano passado, bem como as depreciações das moedas argentina (peso) e venezuelana (bolivar), mas destacando a grande desvalorização do Real no Brasil, especialmente no terceiro trimestre. 

Brasil continua atrás da Espanha

O mercado brasileiro, apesar de ter mais que o dobro em quantidade de acessos (91,9 milhões no total), continuou abaixo do espanhol (com 41,9 milhões de acessos) na comparação econômica. Em receitas, a Telefônica/Vivo acumulou 9,275 bilhões de euros nos nove meses e 2,846 bilhões no trimestre. Já a Telefónica España relatou 9,763 bilhões de janeiro a setembro, e 3,204 bilhões no terceiro trimestre.

Recuo na dívida

O chairman da Telefónica, César Alierta, declarou em comunicado que a empresa conseguiu "mais progresso na execução da estratégia de transformação", que consiste em levar a companhia a ser um negócio digital. Ele ressaltou a queda na dívida líquida, que ficou em 46,101 bilhões de euros ao final do trimestre, recuo de 9,905 bilhões de euros comparado a setembro de 2012 e 3,696 bilhões comparado com junho de 2013. Assim, a companhia consegue atender ao guidance para o ano, que estipula que a dívida líquida fique abaixo dos 47 bilhões de euros. A relação da dívida líquida com OIBDA nos últimos 12 meses foi de 2,3x.

Alierta ainda reitera o potencial de crescimento do grupo espanhol com transações que "deverão ser alinhadas", incluindo a recente venda de sua unidade na República Tcheca e o "fortalecimento de nossa posição em certos mercados chave, enquanto, ao mesmo tempo, ativos com menor capacidade de crescimento são monetizados".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.