Base móvel total cai, mas LTE e pós-pago avançam em fevereiro

O mercado de serviço móvel pessoal (SMP) no Brasil tem tendências constantes: avanço do 4G e do pós-pago, com queda de praticamente todas as outras tecnologias. Essa mesma dinâmica foi registrada pela Anatel em fevereiro, quando a base total brasileira registrou 228,971 milhões de acessos, uma redução de 0,08% comparado a janeiro.

Porém, o avanço do LTE continuou em fevereiro: com 133,577 milhões de acessos, a base 4G aumentou 1,22% no mês. O destaque para o crescimento é da Claro, que adicionou 578,9 mil linhas (aumento de 1,90%) comparado a janeiro, totalizando 31,092 milhões de acessos, ou 23,28% do mercado. Combinado com os 3,264 milhões de contratos da Nextel, contudo, o grupo América Móvil chegaria a 34,356 milhões de linhas 4G, ou 25,72% do mercado. Ainda estaria atrás da Vivo, que tem 31,16% (total de 41,628 milhões de acessos, após aumento de 1,32%), mas encostaria na TIM, que aumentou a base em 1,05% e encerrou fevereiro com 35,294 milhões de linhas, ou 26,42% de market share.

Enquanto o LTE cresce, o 3G pela primeira vez ficou abaixo dos 50 milhões de chips no segundo mês do ano, após redução de 2,42% e total de 49,392 milhões de acessos. Novamente, quem mais desligou linhas 3G foi justamente a líder deste mercado, a Claro. Foram 663,3 mil desconexões no mês (redução de 3,85%), total de 16,543 milhões de chips, ou 33,49% do mercado total. 

A Vivo reduziu a base WCDMA em 2,77% em relação a janeiro, ficando com 13,100 milhões de chips. A TIM tinha 10,784 milhões de acessos em fevereiro, após queda de 0,46%. Já a Oi encerrou o período com 7,887 milhões de linhas, 1,57% a menos do que no mês anterior.

Os acessos 2G apresentaram queda maior em fevereiro: 4,48%, contra 3,46% em janeiro. Ao todo, o Brasil ainda conta com 22,914 milhões de acessos nessa tecnologia. Por sua vez, a comunicação máquina-a-máquina (M2M) manteve crescimento registrado nos últimos meses. O tipo M2M Especial aumentou em 2,48% a base, enquanto o Padrão avançou 2,57%. As bases somaram 8,742 milhões de chips e 12,005 milhões de chips, respectivamente.

Pré e pós

A base pós-paga continuou a avançar em fevereiro, adicionando 882,9 mil acessos (aumento de 0,88%) e chegando a 101,335 milhões de conexões no mês, ou 44,26% do total. Por outro lado, o pré-pago desconectou mais de um milhão de SIMcards (queda de 0,82%), totalizando 127,635 milhões de linhas. 

Com o aumento das linhas 4G e redução de acessos 3G, a Claro também melhorou o mix em fevereiro. A companhia adicionou 351,3 mil linhas pós-pagas no mês, e agora tem 24,151 milhões de acessos do tipo. A base é 42,8% do total da operadora, o que significa um aumento de 0,6 ponto percentual comparado a janeiro. Essa proporção aumentaria para exatos 46% se considerada a fusão com a Nextel, totalizando 27,494 milhões de acessos pós-pagos – ou seja, somando com os 3,342 milhões de conexões da companhia adquirida.

Vale ressaltar também que a TIM voltou a liderar nos desligamentos de pré-pagos. Foram 506,2 mil somente em fevereiro, totalizando 34,839 milhões de acessos. Ainda é 63% da base da empresa, mas foi uma redução de 0,4 p.p. comparado a janeiro. A Vivo continua sendo a única a contar com maior base em pós: com 40,771 milhões de linhas, esse segmento representa 55,5% do total da tele. Confira no gráfico abaixo o mix das quatro maiores operadoras. 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.