OUTROS DESTAQUES
Indústria
Abinee reivindica agilidade da Anatel
segunda-feira, 24 de junho de 2002 , 18h31 | POR LUIZ MOURA

A Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee) quer que a Anatel imponha mais agilidade em decisões relativas a uma série de questões regulatórias diretamente ligadas ao setor. A diretoria da entidade apresentou reivindicações neste sentido ao presidente da agência, Luiz Guilherme Schymura, em reunião realizada em São Paulo na última quinta, 20. O presidente apenas ouviu as reclamações e pediu um relatório por escrito, sob o compromisso de analisá-las e dar uma resposta posteriormente.
Os dirigentes da Abinee pedem, entre outras providências, que a Anatel acelere o processo de certificação e homologação de equipamentos para telecomunicações, conforme a resolução nº 242, e de sinalização, segundo a resolução nº 252. De acordo com o presidente da Abinee, Carlos de Paiva Lopes, enquanto não for concluído este processo, a indústria eletro-eletrônica não pode produzir ou importar diversos equipamentos. A Abinee solicitou ainda que a Anatel acelere a regulamentação de sistemas de transmissão sem fio para interligação entre equipamentos e as licitações para frequências para ponto-multiponto e baixas frequências, para uso da polícia. Além disso, quer que sejam colocadas o mais rapidamente possível em consulta pública as regras de migração para o SMP e o aumento da fiscalização sobre a qualidade e especificações das redes de fios e cabos das operadoras fixas, a fim de favorecer os fabricantes nacionais, que mantêm altos estoques do produto, na substituição destes itens. ?Sabemos das limitações de pessoal da Anatel. Mas a agência pode contratar empresas ou mesmo contar com ajuda da própria indústria para apressar estes processos?, afirma Paiva Lopes. Se atendidas suas sugestões, a Abinee espera pelo menos amenizar a queda de faturamento projetada para o segmento de telecomunicações para este ano, de cerca de 30%, em relação aos R$ 11,4 bilhões obtidos em 2001.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME. Mais informações pelo email eventos@teletime.com.br

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
EVENTOS

O mercado de TV por assinatura mudou. Operadores, programadores e canais se adaptam a um novo tempo em que a não-linearidade, a distribuição multiplataforma e novas formas de engajamento e interação entre telespectadores e conteúdos passa a ser a regra. Neste evento, uma reflexão sobre o presente e o futuro da indústria no Brasil, seus principais desafios, os caminhos que estão surgindo, as principais inovações e as tendências globais mais relevantes. Um evento organizado com a expertise e a curadoria editorial das publicações TELA VIVA, PAY-TV e TELETIME.

30 de julho a 31 de julho
WTC Events Center – São Paulo, SP, SP, Brasil
Top