OUTROS DESTAQUES
Mercado
Analistas recebem bem resultados da Embratel
quarta-feira, 04 de Fevereiro de 2004 , 19h55 | POR REDAÇÃO

A Embratel é confirmada como uma das ações preferidas por boa parte dos analistas após a divulgação dos resultados do quarto trimestre e da teleconferência realizada nesta quarta, dia 4. As ações da empresa, ironicamente, caíram muito. As PN registraram uma desvalorização de 5,57%, enquanto que as ADR recuaram 4,81%. Mas isso foi explicado mais pelas turbulências vividas no final do pregão na Bolsa (pelos boatos de renúncia do presidente do Banco Central) do que propriamente pelo desempenho da Embratel. Em momentos como estes, os papéis com maior liquidez (como Telemar e Embratel) são os que mais sofrem.
Note-se que as ações da Embratel ON, com direito a voto, ficaram estáveis, indicando que a anunciada venda da empresa ainda fala mais alto do que qualquer contingência do mercado.
As ON têm preço alvo de R$ 14,39 para a Fator Corretora, o que significa um potencial de valorização de 66,4%. Para o Unibanco, o target foi elevado de R$ 11,40 para R$ 12, 70, com potencial de 47%.

Bons resultados

Além, é claro, do lucro líquido de R$ 69 milhões no trimestre (R$ 224 milhões em 2003), os analistas ouvidos por TELETIME News gostaram do balanço da Embratel principalmente devido a três fatores: 1) Queda de 13% de sua dívida líquida (ficou em R$ 2,9 bilhões), mostrando que a empresa soube aproveitar a redução dos juros internos e da taxa de câmbio; 2) Receita de R$ 56 milhões em chamadas de longa distância para telefonia celular; 3) Seus investimentos, de R$ 206 milhões, restringiram-se a 11% das receitas líquidas, o que demonstra, na análise por exemplo do Unibanco, que a companhia está observando seu compromisso com sua saúde financeira.
É certo que alguns dados não são bons. Houve queda de receita nas chamadas de longa distância de telefonia fixa, tanto nacional quanto internacional, em parte devido à exclusão de usuários inadimplentes, mas principalmente em decorrência do aumento da concorrência e conseqüente diminuição de tarifas. No entanto, os especialistas acreditam que a incorporação da Vésper para chamadas locais e a boa resposta das campanhas junto a usuários de celulares vão continuar compensando o enfraquecimento da longa distância fixa.

Investimentos se mantêm

Na teleconferência, dirigentes da Embratel asseguraram que os investimentos em 2004 continuarão na faixa de R$ 700 milhões a R$ 900 milhões. A Embratel vai implementar sua primeira rede de nova geração (NGN) ainda no primeiro trimestre em Porto Alegre, expandido-a depois para o Rio de Janeiro e São Paulo.
O esforço será dirigido para pequenos escritórios e residências, competindo nos mercados de voz local e ADSL, informou a empresa. O provedor de acesso gratuito à Internet da empresa (Click 21)encerrou o ano passado com mais de 400 mil clientes.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

Top