OUTROS DESTAQUES
Mercado
Empréstimo do BNDES à Vivo é recebido positivamente por analistas
terça-feira, 20 de setembro de 2011 , 15h48 | POR SAMUEL POSSEBON

O empréstimo de R$ 3 bilhões anunciado pela Vivo junto ao BNDES é considerado por alguns analistas de investimentos ouvidos por este noticiário extremamente positivo para a companhia. Primeiro, porque a Vivo/Telesp, após a consolidação, se tornou uma empresa com resultado muito positivo para pouca alavancagem, e com esse novo empréstimo essa relação de endividamento deve ficar mais próxima daquilo que os analistas consideram ideal.

O fato de serem recursos do BNDES também é positivo, porque não existe credor com melhores condições hoje no mercado. Vale lembrar que o grupo já tinha R$ 2,7 bilhões, aproximadamente, em empréstimos junto ao banco estatal, de um total de R$ 5,7 bilhões de endividamento.

Dividendos

Outro aspecto positivo é que o mercado financeiro viu nesse empréstimo mais uma sinalização de que a companhia deve continuar seguindo a política de distribuição de dividendos da Telesp mesmo agora que a Vivo está consolidada. Ou seja, 100% do lucro e mais juros sobre capital próprio. A alternativa seria a companhia destinar uma parte dos seus lucros para investimentos, o que parece que não será feito, entendem os analistas.

Destaque-se que da distribuição de quase R$ 4,5 bilhões em dividendos da companhia em 2011 (esse ano a Vivo deve distribuir cerca de R$ 2,3 bilhões e a Telesp cerca de R$ 2,2 bilhões, referentes aos resultados e juros sobre capital próprio de 2010), cerca de 74% vão para os controladores e 25% ficam com os minoritários. Essa relação, antes da reestruturação, era de 85% para os controladores e 15% para os demais acionistas.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet. Organizado há 17 edições pela TELETIME e pelo Centro de Estudos de Políticas de Comunicações da Universidade de Brasília (CCOM/UnB), o evento congrega reguladores, formuladores de políticas, acadêmicos, empresas e analistas para um debate aberto sobre os temas mais relevantes e que serão referência ao longo do ano. Em 2018, estão em discussão uma agenda possível para o setor, o impacto do cenário eleitoral sobre as telecomunicações, a atuação  do Congresso Nacional sobre as políticas do setor de telecomunicações e Internet e as referências regulatórias internacionais.

20 de Fevereiro
, ,
EVENTOS

Principal encontro independente de debate e reflexão sobre políticas setoriais dos setores de telecomunicações e Internet

20 de Fevereiro
 
Top