OUTROS DESTAQUES
Análise
Fibra impulsiona banda larga fixa em setembro
quarta-feira, 01 de novembro de 2017 , 16h53

O mercado de banda larga fixa continua a crescer no Brasil. Segundo dados da Anatel referentes a setembro deste ano e divulgados nesta quarta, 1º, houve um avanço de 0,69% no mês na base total, que agora é de 28,167 milhões de acessos, ou 6,20% de crescimento comparado com setembro de 2016.

A tecnologia que mais proporcionou aumento foi a fibra, com 107,7 mil adições líquidas (aumento de 4,23% no mês), total de 2,656 milhões de acessos. No ano, o aumento é de 1,047 milhões de linhas (65,07% de crescimento). Com isso, o meio de acesso FTTx agora representa 9,43% do total. Confira no gráfico abaixo a distribuição.

Outra tecnologia que contribuiu foi o Cable Modem, que adicionou 56,9 mil conexões (aumento de 0,65%) e totalizou 8,808 milhões de acessos (avanço de 3,25% no ano). O Spread Spectrum (rádio) também avançou: 51 mil adições, um aumento de 2,55% no mês e um total de 2,054 milhões de conexões (avanço de 16,22% no ano). A tecnologia mais popular do Brasil, a xDSL, encerrou setembro com 13,254 milhões de acessos, uma queda de 0,25% no mês e de 1,09% no ano.

Com o avanço de tecnologias de maior capacidade como fibra e cabo, também crescem as velocidades das conexões. A faixa acima de 34 Mbps (a mais alta adotada pela Anatel) foi a que teve maior crescimento líquido, com 108,6 mil adições, e um total de 3,813 milhões de acessos. No ano, mais do que dobrou (105,88% de crescimento), aumentando sua participação de 6,98% em setembro de 2016 para 13,54% no mesmo mês de 2017.

A segunda maior faixa de velocidade, de 12 Mbps a 34 Mbps, também foi das que mostraram mais avanço (1,02% no mês e 9,15% no ano), totalizando 7,699 milhões de acessos. Por outro lado, as conexões de 512 Kbps a 2 Mbps caíram 1,20% no mês e 11,72% no ano, totalizando 6,115 milhões de conexões. Curiosamente, as conexões de mais baixa velocidade (incluindo discadas) de até 512 Kbps, aumentaram 3,81% no mês e totalizaram 858,9 mil conexões. No comparativo anual, entretanto, ainda há queda de 16,91%. A faixa de velocidade mais comum no País, de 2 Mbps a 12 Mbps, ainda representa 34,37% do total, ou 9,680 milhões de acessos. Esse recorte ainda mostra crescimento (0,50% no mês e 0,26% no ano).

Grupos

Novamente, o grande responsável no recorte de grupos econômicos é o conjunto de provedores regionais, que recuperaram ritmo de crescimento após um crescimento mais brando em agosto. Essas empresas avançaram 3,73% no mês e 39,33% no ano, totalizando 3,803 milhões de acessos, o quarto maior grupo do mercado brasileiro.

Dos grandes grupos econômicos, a líder da base no País, a Claro Brasil (Claro, Embratel e Net), aumentou 0,60% no mês e totalizou 8,763 milhões de conexões fixas, um avanço de 4,37% no comparativo anual. A Vivo é a segunda maior empresa, com 7,610 milhões de acessos, praticamente estável (queda de 0,01%) no mês, mas aumento de 1,80% no ano. Já a Oi, a terceira colocada, fechou setembro com 6,374 milhões de linhas, uma queda de 0,19% no mês e de 0,41% no ano. A Algar encerrou o período com apenas seis acessos a menos, total de 531,4 mil conexões, ou 8,39% acima do ano passado.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS
Não Eventos
EVENTOS
Não Eventos
Top