Conselho de Comunicação Social do Congresso pode ficar novamente paralisado

O Congresso Nacional pode ficar mais um período sem seu funcionamento do Conselho de Comunicação Social. Nesta terça-feira, 30, a votação da nova composição foi adiada por pressão de lideranças partidárias que pediram mais tempo para exame da matéria, que não se encontrava na pauta.

Os mandatos atuais do Conselho de Comunicação Social encerram-se em 15 de junho, e ainda não há data prevista para uma nova votação da matéria. A última reunião da composição atual do CCS está marcada para o dia 5 de junho.

Composto de 13 membros titulares e igual número de suplentes, as ultimas indicações foram criticadas por incluir até ministros de Estado, que sequer compareceram a uma só reunião. Os nomes propostos para a renovação do CCS atende melhor às reivindicações das entidades do setor, porém, passam a enfrentar dificuldades de aceitação pelos parlamentares.

Os nomes propostos são: Luiz Carlos Gryzinski e Ranieri Moacir Bertolli, respectivamente como titular e suplente representantes das empresas de rádio; José Francisco de Araújo Lima e Álvaro Vasconcelos, titular e suplente representantes das empresas de televisão; Ricardo Pedreira e Maria Célia Furtado, titular e suplente representantes das empresas de imprensa escrita; Tereza Mondino e Paulo Ricardo Balduíno, titular e suplente engenheiros com notório conhecimentos na área de comunicação social e Maria José Braga e Elisabeth Villela da Costa, titular e suplente representantes da categoria de jornalistas profissionais.

E também: José Antonio de Jesus da Silva e Edwilson da Silva, titular e suplente representantes da categoria profissional de radialista; Sydney Sanches e Jorge Coutinho, titular e suplente representantes da categoria profissional dos artistas; Luiz Antonio Gerace da Rocha e Silva e Sonia Tereza Santana, titular e suplente representantes das categorias profissionais de cinema e vídeo; Fábio Augusto Andrade, Domingos Meirelles, Bia Barbosa, Miguel Matos e Davi Emerich, representantes titulares da sociedade civil e seus suplentes Renata Miele, Fernando Mauro Trezza, Renato Godoy e Dom Darci José Nicioli

O conselho é um órgão de apoio ao Congresso, tendo como atribuição a realização de estudos, pareceres, recomendações e outras solicitações que lhe forem encaminhadas pelos parlamentares a respeito de comunicação social. O órgão já passou seis anos sem funcionamento.

Previsto na Constituição de 1988 e instituído em 1991, o CCS começou efetivamente a funcionar em 2002. Atualmente o Conselho de Comunicação Social é presidido por Miguel Ângelo Cançado, e tem como vice-presidente Ronaldo Lemos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.