Indústria de games para celular discute desaceleração

O mercado de jogos para celular está desacelerando ao redor do mundo, mas é difícil apontar uma clara razão para isso. Executivos de operadoras, publishers e desenvolvedores se reuniram nesta segunda-feira, 31, em um painel do Mobile Entertainment Live, conferência que antecede a CTIA Wireless 2008, em Las Vegas, para discutir o tema, porém não chegaram a um consenso. O diretor global para games da Vodafone, Suresh Sudera, disse que a indústria de games teve sorte até agora: ?Tivemos sorte porque o apetite do usuário era grande. Agora está diminuindo e precisamos passar a analisar as vendas diariamente e não mensalmente ou trimestralmente?, aconselhou.
O gerente geral para games da Vivendi, Oliver Maio, foi mais autocrítico: ?Nossa indústria não fez nada de novo nos últimos anos. Agora que está desacelerando, chegou o momento de inovar?. Por sua vez, Martin Dunsby, CEO da Vollee, empresa que adapta massive online multiplayer games do PC para os celulares, preferiu culpar o excesso de plataformas disponíveis no mundo móvel: ?Existe hoje uma fragmentação de plataformas para o desenvolvimento de aplicativos e jogos para celulares?. Por fim, o presidente da desenvolvedora Sulake, Teemu Huuhtanen, escolheu culpar as operadoras: ?É ridículo as operadoras ficarem com 50% do preço pago pelo jogo?.
Nenhum dos painelistas, contudo, citou números de downloads ou de receita que pudessem ilustrar a tão comentada desaceleração. Quando perguntado por este noticiário quantos downloads de games a Vodafone faz por mês, Sudera disse que não estava autorizado a dar entrevistas. O único número que o executivo da Vodafone abriu durante o painel foi o de que 55% dos downloads registrados pelo grupo mundialmente são de jogos sem marca, ou seja: puzzles, jogos de carta ou outros quaisquer que não tragam no nome a marca de um artista, de um personagem ou de um jogo famoso de console.

Notícias relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.