Oi busca aumentar receitas de cloud com edge computing

Rodrigo Shimizu, Diretor de Marketing B2B da Oi. Foto: Marcos Issa/Argosfoto/Oi

Buscando o posicionamento como provedora e integradora de soluções digitais para o mercado corporativo, a Oi Soluções, braço B2B da empresa, aposta no edge computing para sua nova solução de cloud. A operadora lança neste mês o Smart Cloud 4.0, no qual passa a oferecer uma plataforma baseada em ferramentas open source para atuação híbrida em nuvens públicas e privadas, e possibilitando o desenvolvimento de uma arquitetura de edge, com foco em aplicações que precisam do processamento na ponta, como soluções de Internet das Coisas (IoT) e vídeo. 

Com isso, a empresa espera crescer 50% da receita em cloud nos próximos dois anos, segundo o diretor de marketing Oi Soluções, Rodrigo Shimizu. Para ele, há demanda. "De forma geral, não tem empresa que não tenha o desafio da transformação digital em alguma magnitude, a gente vê que é algo em geral do mercado e que podemos fazer parte da jornada", afirma. A intenção da operadora é de oferecer a solução tanto para os 200 clientes já existentes na área de cloud quanto para novas aquisições. "Esse é o mercado que queremos apoiar". declara.

Notícias relacionadas

O edge computing visa aplicações de baixa latência de rede, proporcionada pelo processamento na ponta. Shimizu cita como exemplo uma rede varejista que precisa colocar câmeras em várias localidades e pode processar as imagens sem precisar trafegar os dados na rede em uma cloud, gastando banda. "É só carregar na nuvem as informações mais críticas, e não necessariamente fazer upload de tudo", exemplifica. A ideia é incorporar o edge no portfólio para oferecer também serviços de segurança e gestão, por exemplo. 

O diretor de marketing da Oi Soluções afirma que o novo produto não terá problemas com a intenção de venda de data centers que a operadora pretende realizar neste ano como parte do plano estratégico da recuperação judicial. Ele diz que a plataforma é independente e pode ser hospedada em data centers públicos ou próprios dos clientes, inclusive. "Não tem diferença no ponto de vista de solução." Perguntado sobre os fornecedores de equipamentos, ele apenas disse que contava com "alguns globais de infraestrutura e tecnologia" de países como Estados Unidos e Canadá, além da Europa.

Tampouco há conflito ou impacto com a futura vigência da nova Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD). De acordo com Shimizu, a plataforma está em compliance com a legislação, uma vez que proporciona dashboards para controlar as informações e traz funcionalidades de recuperação de dados – no caso de haver necessidade de um cliente requisitar a remoção dos dados, por exemplo. 

A Oi Soluções em si está presente em 57 mil empresas de vários setores, atendendo ao segmento com "mais de 1.500 executivos". 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.