Velocidade média no Brasil dobra em um ano, mas ainda está atrás de países vizinhos

Assim como na banda larga fixa, a conexão móvel no Brasil mostrou resultados abaixo dos vizinhos da América do Sul no primeiro trimestre de 2015, de acordo com relatório "State of the Internet" produzido pela Akamai e divulgado nesta quarta, 24. O País apresentou velocidade média de 2,5 Mbps, empatado com Chile e Colômbia dentre os demais países sul-americanos considerados no levantamento e atrás de Venezuela (com 7 Mbps), Uruguai (5,4 Mbps) e Paraguai (4,1 Mbps). Mas há um ponto positivo: em comparação com a mesma medição feita um ano atrás, a velocidade média no Brasil mais que dobrou. Em junho de 2014, o Brasil registrou 1,2 Mbps, quando amargou a penúltima posição dentre os países da América do Sul.

Notícias relacionadas
Em velocidade de pico na banda larga móvel, o Brasil mostrou média de 20,7 Mbps, bem acima do registrado em 2014 (9,3 Mbps). No bloco da América Latina, ficou atrás de Uruguai (32 Mbps), Venezuela (25,9 Mbps) e Paraguai (24,1 Mbps), mas à frente de Chile (16,8 Mbps) Colômbia (14,1 Mbps), Argentina (11,1 Mbps) e Bolívia (10,7 Mbps).

Em termos de penetração, a Venezuela lidera isolada na região, com 97% das conexões acima de 4 Mbps. Em seguida vem o Uruguai, com 57%, e o Paraguai, com 36%. Com 7,2%, o Brasil aparece atrás também da Argentina (8,9%) e Chile (8,5%), mas à frente de Colômbia (6,4%) e Bolívia (0,9%). Ainda assim, as conexões brasileiras melhoraram: em relação ao ano passado, quando apenas 0,4% dos acessos contavam com velocidade acima dos 4 Mbps.

O levantamento também mediu o tempo médio para carregamento de página na Internet em milissegundo (quanto menor, melhor), mas sem incluir dados do Safari no iOS ou de versões antigas do Android e dos navegadores Internet Explorer e Safari em computadores por conta de incompatibilidades com a ferramenta de mensuração. O Brasil registrou 6.106 ms em média na banda larga fixa e 7.168 ms na banda larga móvel. O resultado é o pior da América do Sul (o menor registrado foi na Bolívia: 1.619 ms e 670 ms, respectivamente). A rede móvel brasileira também mostrou a maior disparidade em relação à fixa (relação de 1,2x, contra 0,4x da Bolívia, por exemplo) no bloco.

Global

No mundo, destacam-se a velocidade média do Reino Unido, com 20,4 Mbps, e a velocidade de pico média da Austrália, com 149,3 Mbps. A maior penetração de conexões móveis acima de 4 Mbps é da Dinamarca, com 98%.

O levantamento usa como métrica o tráfego nas redes próprias da empresa e inclui acessos por meio de smartphones, tablets, computadores e outros dispositivos por meio de redes móveis, além de incluir dados levantados pela Ericsson. A Akamai afirma ainda que registrou dados "que não são realistas" de países como Arábia Saudita e Kuwait, que mostraram picos de 300 Mbps. A justificativa é que seriam redes com "forte uso de proxies por parte de provedores", o que demonstraria a velocidade entre a Akamai e proxies, e não entre a companhia e os dispositivos móveis.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.