Rioforte pede gestão controlada à Justiça de Luxembrugo

Como esperado, a Rioforte, que teve oficializado no último dia 20 o calote de 897 milhões à Portugal Telecom, deu entrada no pedido de gestão controlada na Justiça de Luxemburgo, uma espécie de regime de proteção contra credores previsto na legislação daquele país. A Rioforte seguiu, na verdade, os passos de sua controladora direta, a Espírito Santo International (ESI), que havia entrado com pedido semelhante no último dia 18. O Tribunal de Luxemburgo aprovou a gestão controlada da ESI nesta terça, 22, e a empresa passará a ter administração judicial com o objetivo de promover a reorganização do grupo e a venda de ativos.

Notícias relacionadas
Em comunicado, a Rioforte justifica que a "apresentação deste pedido está relacionada com as dificuldades substanciais ocorridas na sociedade que detém 100% do seu capital, a Espírito Santo International", e que "não está em condições de cumprir com as obrigações decorrentes de determinadas dívidas, cuja maturidade ocorreu desde 9 de Julho de 2014 e que se venceram após 16 de Julho de 2014". Ainda de acordo com a empresa, a gestão controlada permitirá uma reestruturação "transparente e ordenada" visando à sustentabilidade financeira no longo prazo, com a negociação organizada dos seus ativos, "tudo no melhor interesse de todos os seus 'stakeholders', em particular os seus credores".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.