Portugal Telecom penalizada pela RioForte e relatório da Morgan Stanley

As ações da Portugal Telecom (PT) SGSP, empresa que tem como ativos apenas a participação societária de 25,6% da Oi e os papéis da dívida de 897 milhões de euros da Rioforte, voltaram a despencar na Bolsa de Lisboa nesta segunda-feira, 20, atingindo novo patamar histórico de baixa. A queda das ações, que chegaram a ter desvalorização de 27% ao longo do dia – cotadas a 0,865 euro e rebaixando o valor de mercado da PT para cerca de 788 milhões de euros – refletem duas notícias da última sexta-feira: a decisão do Tribunal de Luxemburgo de não autorizar a gestão controlada da Espírito Santo International e da RioForte Investments, determinando que ambas as empresas vendam seus patrimônios para quitar dívidas; e ainda o relatório do Morgan Stanley que atribui às ações da PT um preço-alvo de 0,79 euros, com um pouco mais de peso para a segunda. Vale notar que o Morgan Stanley foi contratado pela francesa Altice para preparar uma eventual proposta para uma eventual aquisição dos ativos portugueses da Oi, cujas operações foram transferidas a ela pela PT no processo de aumento de capital no processo de fusão.

Notícias relacionadas

O relatório causou certo pânico entre acionistas, mas as ações recuperaram parte da perda no final da tarde e fecharam o pregão da Bolsa de Lisboa cotadas a 1,09 euro, queda de 10,05%. A situação da PT em Portugal teve reflexos por aqui, derrubando as ações da Oi. A operadora brasileira chegou a enviar comunicado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) no meio da tarde para dizer que "o anúncio de eventual liquidação dos ativos da RioForte (…) em virtude da rejeição do pedido de gestão controlada (…) não terá qualquer impacto no andamento da operação de combinação de negócios e das bases acionárias da Oi, da Portugal Telecom SGPS S.A. e da TelPart".

Oi e Telemar Participações, que assinam em conjunto o comunicado, reiteraram que "permanecem integralmente mantidos os compromissos de promover a listagem da CorpCo no Novo Mercado da BM&FBovespa S.A. – Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros e que a efetiva listagem está prevista para ser concluída quando da incorporação de ações da Oi pela CorpCo" e ainda que "estão trabalhando para que a aprovação da referida incorporação de ações ocorra dentro do primeiro trimestre de 2015".

As ações preferenciais (OIBR4) da Oi encerraram o pregão da BM&FBovespa em queda de 6,40%, cotadas a R$ 1,17; e as ordinárias (OIBR3) caíram 7,63%, a R$ 1,21.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.