Publicidade
Início Teletime Brasil passa dos 180 milhões de acessos em banda larga móvel em...

Brasil passa dos 180 milhões de acessos em banda larga móvel em maio

Com crescimento mensal de 13%, o LTE fechou maio com 11,838 milhões de acessos, mais do que dobrando (104,8%) a base em seis meses, segundo informações divulgadas nesta segunda-feira, 20, pela Anatel. Ainda assim, a tecnologia que mais cresceu em números absolutos foi o 3G (WCDMA), com 2,534 milhões de adições líquidas (aumento de 1,62%) em relação a abril, fechando o quinto mês com uma base de 161,9 mil acessos.

Notícias relacionadas
Juntando todos os acessos considerados como banda larga móvel (terminais e handsets WCDMA e LTE), nota-se que houve um crescimento de 2,24% no mercado brasileiro entre abril e maio, um aumento líquido de 3,938 milhões. Assim, o País passou a barreira das 180 milhões de conexões de banda larga móvel em maio, o que representava 63,3% do total de todas as tecnologias.

Quem mais adicionou em maio no 3G foi a Oi, com 804 mil adições líquidas e um crescimento de 3,40%. A Vivo seguiu, com 705,6 mil novas linhas (1,74%), acompanhada da TIM, com 663,4 mil (1,62%), e Claro, com 328,8 mil (0,64%). No entanto, com 52,1 milhões de conexões, a operação da mexicana América Móvil continua líder no segmento de terceira geração. TIM e Vivo seguem praticamente empatadas com 41,5 milhões e 41,2 milhões, respectivamente.

A tecnologia LTE adicionou 1,361 milhão de conexões entre abril e maio. Os maiores responsáveis foram a Vivo, com 493 mil adições líquidas (12,64%), e TIM, com 433,7 mil (13,04%). As duas são as líderes do mercado, com 4,392 milhões e 3,759 milhões, respectivamente. Por sua vez, a Oi mostrou o maior aumento proporcional, com 19,58% (201,5 mil novas linhas), embora ainda mantenha a quarta posição, com 1,231 milhão de linhas. A Claro aumentou 10,89% (207,9 mil adições) e continua na terceira posição, com 2,123 milhões de acessos 4G.

 

Perdendo o fôlego

O mercado de terminais de dados (modems e tablets) continuou a tendência de 2014 e voltou a apresentar queda, com 0,15% de recuo em maio (9,2 mil desconexões). Eram 6,283 milhões de linhas dessa modalidade.

A tendência de migração do 2G para o 3G e 4G parece continuar em 2015, com um número semelhante de desconexões na tecnologia antiga (3,366 milhões) e de adições líquidas na banda larga móvel (3,938 milhões). Quem apresentou maior quantidade de desconexões no GSM foi a TIM, com 1,320 milhão a menos em maio (recuo de 4,48%).

M2M

Apesar de ter divulgado o balanço total do serviço móvel pessoal (SMP) referente a junho, os dados de tecnologia ainda se referem a maio – até então, a Anatel só havia divulgado as informações de até janeiro deste ano. Além disso, a agência também excluiu os dados da Porto Seguro, afirmando que ainda estão em análise – seriam 310.298 conexões, que não foram discriminadas na tabela.

Essa demora na liberação das informações se deu por conta da mudança de metodologia na comunicação máquina-a-máquina (M2M). Por conta da aplicação da desoneração do Fistel, conforme Lei nº 12.715/2012, a Anatel passou a separar esses acessos como M2M Especial, isto é, os que não se valem de intervenção humana. Apesar de desonerado, o crescimento líquido dessa categoria foi de apenas 187,7 mil acessos (11,86%), totalizando 1,771 milhão de linhas. Vale lembrar que a Porto Seguro não foi contabilizada.

Em M2M padrão, que são equipamentos como máquinas de POS, houve recuo de 53,4 mil linhas (0,6%). Esse segmento agora totaliza 8,791 milhões de acessos, também sem considerar a MVNO.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sair da versão mobile