Oi volta a apresentar geração de caixa negativa em abril

A Oi voltou a apresentar geração de caixa negativa em abril, de acordo com o relatório mensal apresentado pelo administrador judicial (AJ) da recuperação judicial, o escritório de advocacia Arnoldo Wald, nesta segunda-feira, 19. O documento reúne informações colhidas até o dia 16 de junho, e mostra uma geração de caixa operacional líquida negativa de R$ 231 milhões no mês, uma leve redução em relação a março (R$ 279 milhões). Porém, foi o segundo resultado negativo seguido na geração de caixa – o único mês neste ano em que houve geração positiva foi em fevereiro.

Segundo o AJ, o pagamento da taxa de ônus de concessão no valor de R$ 157 milhões (referente ao biênio 2016-2017) à Anatel afetou "significativamente" nesse aspecto. A empresa ainda pagou R$ 660 milhões em Fistel no mês. Contribuiu ainda a redução de R$ 151 milhões nos depósitos judiciais, ficando em R$ 17 milhões no período. Aos fornecedores, a companhia pagou R$ 1,517 bilhão, redução de 5% graças a menos gastos com aluguéis.

Outro fator foi a redução de 18,2% (R$ 585 milhões) nos recebimentos no mês, após um volume "atípico" de março. No total, a empresa obteve R$ 2,869 bilhões. As demais movimentações das recuperandas, incluindo operações intragrupo, financeiras e dividendos, contribuíram com saídas de R$ 55 milhões. A conta de uso de rede apresentou alta em abril, ficando em R$ 242 milhões.

Assim, o saldo final do caixa financeiro foi de R$ 6,884 bilhões, uma queda de 4%, ou R$ 286 milhões, em relação ao mês anterior. Os investimentos da Oi no mês foram de R$ 346 milhões.

Vulnerabilidade

O administrador judicial voltou a mostrar preocupação com a necessidade de divulgação dos resultados mensais antes das demonstrações financeiras prestadas à BMFBovespa, nos termos do Art. 176 da Lei 6.404/76. Diz que isso pode "vulnerar a confidencialidade e trazer dados divergentes" até o prazo final de entrega à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), no dia 31 de julho. Por conta disso, segue a recomendação de que os relatórios mensais não contenham balanços patrimoniais consolidados e as demonstrações de resultado mensal consolidado das recuperandas.

O escritório Arnoldo Wald informa ainda que foi iniciado no último dia 12 de junho o processo de triagem das impugnações aos créditos listados na relação de credores. Já foram examinados 967 impugnações e 763 habilitações retardatárias. Foram protocolados até o momento 520 manifestações. O AJ diz estar analisando diversas questões jurídicas, inclusive internacionais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.