Comissão da Câmara aprova PL que permite escolha de decodificador de TV paga

A Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 2035/15, do deputado Rômulo Gouveia (PSD-PB), que permite ao consumidor escolher o decodificador para receber sinal de TV por assinatura. O texto inclui a regra na Lei 12.485/2011 (Lei do Serviço de Acesso Condicionado – SeAC).

A proposta foi rejeitada na Comissão de Ciência e Tecnologia e por isso terá que ser apreciada no plenário da Câmara, caso passe na Comissão de Constituição e Justiça. A matéria perdeu o caráter conclusivo por ter recebido pareceres divergentes (aprovação e rejeição) nas comissões de mérito.

A proposta torna nulas as cláusulas em contrato de TV por assinatura que vinculem a prestação do serviço à aquisição, aluguel, comodato ou recebimento de aparelho de decodificação da mesma empresa. O texto também veda técnica para a empresa bloquear o funcionamento de decodificador de terceiros, desde que o aparelho seja homologado e produzido de acordo com norma federal.

A matéria recebeu parecer pela aprovação do relator na comissão, deputado Heuler Cruvinel (PSD-GO). Ele concordou com o argumento de Gouveia de que a obrigatoriedade do uso de decodificador da empresa é um caso de venda casada que prejudica o consumidor e impede a oferta de alternativas de mercado.

Caso o PL seja aprovado, as normas de decodificação e codificação serão feitas por entidade de normalização e aprovadas pela Anatel. A agência editará regulamento para estabelecer padrões de decodificação, qualificação do usuário e condição de homologação.

O texto classifica como infração à ordem econômica a celebração de contrato de exclusividade entre a empresa de TV por assinatura e o fornecedor do decodificador. De acordo com a proposta, as empresas de TV por assinatura devem se adequar às novas regras em um ano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.