Embratel lança sua operação de DTH

A Embratel anunciou oficialmente nesta terça, 16, seu serviço de TV por assinatura Via Embratel. O DTH da operadora, conforme havia antecipado este noticiário na semana passada, chega com preços competitivos, a partir de R$ 59,90. Segundo Antonio João Filho, diretor responsável pelo Via Embratel, uma pesquisa junto ao público alvo apontou o desejo por "propostas simples e sem surpresas". Portanto, o preço praticado não é uma oferta temporária. "O cliente não vai se surpreender com um aumento na mensalidade ao fim de um período de descontos", diz o executivo. Também para evitar surpresas, a Embratel optou por não oferecer pontos adicionais em um primeiro momento. "Não queremos ter que mudar o contrato com os assinantes no futuro", explica Antonio João, que espera que a Anatel tome uma decisão em relação à cobrança do ponto adicional no início do próximo ano.
A estruturação do line-up também foi fundamental para conseguir praticar os preços propostos. "Tivemos que quebrar alguns paradigmas para atingir o preço de R$ 59,90. Chamamos todas as programadoras para a festa, algumas vieram, outras exigiram trazer a família toda", diz o executivo. Com isso, duas grandes programadoras ficaram de fora da operação da Embratel: Abril e HBO. "Nossa pesquisa mostrou que o público tem preferência por canais dublados. Os canais da HBO, por exemplo, não se adequam a esse público que queremos atingir em um primeiro momento", diz, sem descartar a inclusão dos canais no line-up no futuro.
Por fim, outra estratégia para manter os custos baixos, foi tecnológica. A Embratel optou por usar a compressão MPEG-4 em DVB-S2. "A curva de amadurecimento tecnológico (do MPEG-4) está quase no topo. Os componentes são um pouco mais caros, mas se optássemos por MPEG-2, teríamos um legado no futuro", diz Antonio João. Além disso, a tecnologia permite economia de capacidade do satélite, "de 40% a 50%". Embora usem compressão mais moderna que os concorrentes, os decoders são "os mais low end possível, não permitindo alta definição e nem serviços como vídeo on demand".

Notícias relacionadas
Comercialização
Segundo Antonio João, o serviço conta com dois canais de vendas: venda própria e através de revendas locais. Por enquanto, o serviço é oferecido em 400 localidades, onde a Embratel tem parceiros de venda e de instalação. "Queremos cobrir 90% do Brasil até abril de 2009", diz o executivo, explicando que a cobertura aumenta conforme novos parceiros são agregados. As localidades estão espalhadas pelas cinco regiões do Brasil. Para cada região, há um escritório da Embratel responsável pelo relacionamento com os parceiros de venda e instalação.
Por enquanto, a Embratel vende apenas o serviço de TV. No começo de 2009, deve começar a vender serviços de telefonia (Livre) e banda larga (Livre.com), nas localidades onde os serviços estão disponíveis. Os serviços funcionam sobre a plataforma de WLL que a empresa adquiriu da Vésper.
"A Embratel é uma importante acionista da Net Serviços, e não faz sentido concorrer com ela mesma", diz Antonio João. Portanto, não haverá "vendas ativas" onde a Net estiver presente. "Mas não vamos nos negar a vender, se formos procurados", diz. Mesmo nas localidades onde a Net está presente, a Embratel deve oferecer seus serviços nos bairros e regiões não atendidas pela Net.
Em meados de 2009, a Embratel deve lançar novos serviços como alta definição, DVR e até vídeo on demand.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.