TV a cabo nos EUA completa uma década de perda de base

Alguns dados interessantes sobre a indústria de TV por assinatura nos EUA: o mercado de TV a cabo fechou 2010 em 59,8 milhões de assinantes dos pacotes de vídeo. Foi menos do que em 2009, quando o número era de 62,1 milhões. O argumento é que essa queda reflete o elevado índice de imóveis desocupados. Mas o fato é que desde 2001, quando a base de assinantes de vídeo chegou ao pico de 67 milhões, nunca mais houve um ano de crescimento positivo. Fato que se explica pelo crescimento do DTH nos EUA e pela oferta de serviços de vídeo por meio de outras tecnologias, como IPTV e fibra. Some-se a esse número de assinantes de serviços de TV a cabo mais 35 milhões de assinantes da DirecTV e da Dish (operadoras de DTH) e pelo menos mais 6,5 milhões da AT&T e da Verizon (que operam com fibra e IPTV).
O que vem crescendo é a base de assinantes que já estão conectados a pacotes digitais. Eram 44,7 milhões no final do ano passado. Número muito parecido com o total de assinantes de banda larga por meio de cable modem, que era de 44,4 milhões. A base total de clientes de banda larga nos EUA, incluindo as demais tecnologias, era de 76,2 milhões em 2010, ou seja, o cabo tem a maior parte.
A base de assinantes de telefonia por redes de cabo nos EUA é de 24 milhões de clientes. As redes de cabo dos EUA estão disponíveis para cerca de 128 milhões de lares (homes passed), quase todos com serviço de banda larga disponível e conteúdos em HDTV.
As receitas totais da indústria têm crescido consistentemente ano a ano e o mercado de TV a cabo nos EUA já fatura US$ 94 bilhões, dividido entre 1,1 mil operadoras e 565 canais. Esses dados foram todos compilados pela NCTA (associação de TV a cabo dos EUA) e pelo instituto Kagan Associates.
Futuro
Em termos de projeções futuras, um estudo da MagnaGlobal publicado pelo veículo especializado Multichannel News mostra que o mercado de TV por assinatura em geral nos EUA (incluindo todas as tecnologias) deve fechar o ano com 106 milhões de assinantes de TV paga, número que deve crescer a 111 milhões até 2016. Segundo o mesmo estudo, este ano deve haver 56 milhões de lares com capacidade de consumir conteúdos sob demanda, número que vai a 70 milhões até o final de 2016. Já o total de domicílios com DVR será de 43 milhões em 2011, indo a 61,8 milhões em 2016. São poucas as operadoras que abrem os dados de VOD com precisão. A Cox divulgou algumas informações, contudo, que mostram resultados expressivos. Segundo a operadora, ela tem 31 milhões de sessões de vídeo sob demanda por mês.
Se o mercado de banda larga nos EUA era de 76 milhões de usuários no final de 2010, este ano deve passar de 80 milhões e em 2016, segundo as projeções da Cisco e da MagnaGlobal, chegará a quase 98 milhões de pessoas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.