Governo volta a sinalizar com possível aumento do Fistel

O Ministério do Planejamento sinalizou diretamente à Anatel, segundo apurou este noticiário, que um eventual reajuste do Fistel está no radar do governo. Seria uma das formas de aumentar no curto prazo a arrecadação do Governo Federal. A manifestação, que desta vez não veio acompanhada de nenhum número específico, já disparou uma série de reuniões que devem acontecer nos próximos dias entre representantes das empresas e a área econômica do governo, a exemplo do que aconteceu em 2015, quando uma iniciativa semelhante foi revertida nos últimos momentos. Na ocasião, o governo projetava um reajuste de 189% no Fistel, cuja tabela não foi corrigida pela inflação, ainda que a arrecadação tenha crescido enormemente com a ampliação da base. Em 2015, a correção proposta elevaria, por exemplo, a taxa paga anualmente por cada linha móvel de R$ 13,4 para R$ 38,7, com impacto de pelo menos R$ 5 bilhões anuais para as empresas de telecomunicações. A Anatel já disse ao planejamento que um aumento de carga tributária seria terrível para a recuperação da expansão do setor, que há quase dois anos vem perdendo base em quase todos os serviços, exceto banda larga. Para as empresas, a frente de batalha é ainda mais preocupante pois já havia um movimento do Governo Federal de aumentar PIS e Cofins do setor, fora os reajustes de ICMS ocorridos em 2016. A argumentação é que, além da perda de investimentos e redução da base, o aumento do Fistel traria pesadas perdas para os Estados pela perda de arrecadação de ICMS.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.